Luís Filipe Vieira: «Rui Costa magoou-me bastante»

6 jun, 22:45
Luís Filipe Vieira na TVI

Luís Filipe Vieira confessou que nunca mais conversou com o atual presidente, referiu há uma caça às bruxas no Benfica e considerou um «erro» ter contratado Rui Pedro Braz para diretor-geral do clube

Luís Filipe Vieira confessou estar «magoado» com Rui Costa, o seu sucessor na presidência do Benfica, e que os dois ainda não falaram desde que o ex-presidente foi detido quase há um ano.

«Houve deselegância quando ele tomou posse. Magoou-me bastante até pela relação que tinha com ele. Tivemos muitas divirgências profissionais, mas em termos de relação pessoal, gostava bastante dele. Fiquei magoado. E fiquei magoado também por ele ter dado instruções a dois fisioterapeutas para não irem mais a minha casa como se fosse possível iram lá dar-me informações. O Benfica agora é gerido por jornais. E as coisas saem do clube cá para fora. Fui 10 anos presidente do Benfica e o Benfica cresceu como nunce se pensou que poderia crescer. O Benfica tem o património liquidado e profissionalizou-se, está ao nível dos melhores do mundo. Cuidou da sua história, fez um museu que nem existia. Tive de comprar taças do Benfica em leilão. Fez um estádio que é um orgulho para todos, construiu pavilhões. A obra é do Benfica. O Vieirismo? É o Benfica. O Vieirismo é o Benfica», referiu, em entrevista à CMTV. 

«Caça às bruxas? Tenho a certeza que existe. Não sei quem é que a alimenta. Conheço aquela gente toda, 90 por cento foi admitida por mim. É normal que fale com elas. Quando me dizem 'não digas nada que falaste comigo'. Alguém anda a fazer essa caça. Estão a trair a história do Benfica. Quando um líder tem medo do ex-líder... Se ele sabe que isto se está a passar, por que não proíbe as coisas? Digo do fundo do coração: Deus queira que o Rui Costa esteja muitos anos no Benfica e que eu possa ir ao Marquês muitas vezes festejar», acrescentou, revelando que não conversou mais com o atual presidente das águias.

«Se falei com ele? Não. Depois do discurso dele, não poderia ter essa iniciativa. Não tenho problema nenhum em almoçar com ele. Se calhar era útil para ele.»

Luís Filipe Vieira abordou o regresso de Jorge Jesus à Luz, revelou que apenas um responsável do clube se mostrou contra a contratação do técnico e assumiu que contratar Rui Pedro Braz foi «um erro».

«Quando o Jesus veio para o Benfica, houve um investimento de 100 milhões que já foi recuperado. Eu estava contra esse investimento. Mas aceitei experimentar. O Jesus veio porque é um treinador de ganhar rápido. E precisávamos de ganhar. Quem foi contactar o Jesus ao Brasil, foi o Domingos Soares de Oliveira. Fiquei feliz por ele voltar, é meu amigo e acreditava cegamente que íamos ganhar o campeonato. Reforçámo-nos bastante. O primeiro ano foi um desastre por causa da covid-19. Foi uma desgraça completa. No segundo ano acho que o Benfica tinha plantel mais do que suficiente para ser campeão nacional. Nem eram precisas as aquisições que fizeram depois. Nem sei o que vieram para cá fazer, tínhamos melhor na formação. O Jesus apostou na formação, apostou no Paulo Bernardo, no Gonçalo Ramos e recuperou o Diogo Gonçalves. Se o Jesus tivesse sido devidamente apoiado, o campeonato seria diferente. O Rui Pedro Braz fez o trabalho que fez contra o Jorge Jesus. Como é que Jesus podia brilhar?», argumentou antes de criticar o atual diretor desportivo do clube.

«O Rui Pedro Braz andava todos os dias a tirar o tapete ao Jesus e andava a dizer aos empresários que Jesus já não era treinador do Benfica. Quando o Jesus perdeu com o Sporting, foi vaiado. Quem saiu em defesa dele? Zero. Ninguém. Quando o Rui Vitória foi cilindrado pelo Jesus em casa, apareceu o Vieira no final do jogo a dizer que aquele era o seu treinador e que era com aquele que iria ganhar. Estou só a dar exemplos. Geriram muito mal a situação do Jesus, tiraram-lhe o tapete. Parece que a culpa foi do Pizzi. Quem é que a seguir ao jogo do FC Porto, disse no balneário: 'Deixem o homem desabafar?'. Foi o Rui Pedro Braz. Ele sabia que os adjuntos do Jesus estavam no balneário e que lhe iam contar. Esse tema foi mal gerido. Fui eu quem contratou o Rui Pedro Braz e ninguém o queria. Foi um erro meu. Se ninguém o queria, não sei por que razão ainda lá está. Agora parece que todos têm amnésia. A única pessoa que não queria o Jesus era o Tiago Pinto e saiu por causa disso, disse que íamos estragar o que estávamos a fazer.»

Luís Filipe Vieira assegurou que «nunca mais» voltará a ser presidente do Benfica, mas sublinhou que seria eleito caso fosse a eleições.

«Nunca mais. Nem que Cristo desça à Terra. Estarei disponível para ajudar, mas como presidente do Benfica, acabou. As pessoas têm memória curta. Só tive férias em dois dos 19 anos em que estive no Benfica. Trabalhei como um escravo e trabalhei para alguns que não faziam nada. Sei o que fiz no Benfica. Os sócios do Benfica gostavam muito de mim, ainda vejo as manifestações que existem... O que aconteceu em Leiria não representa isso. Não tive nada a ver com aquisições do Meites, Romans… diziam que só comprava lixo. É ponto assente que não voltaria a ser presidente, dei o meu contributo e está a vista. Não mudo de opinião, não há hipótese. Não vou. Não há hipótese de voltar. O que se passou comigo, o que fiz passar o meu filho, é impossível para mim. Se fosse a eleições, ganhava. Não tenho dúvidas. Sei o que se passa no clube e a forma como as pessoas falam comigo. Tenho essa convicção», concluiu. 

Relacionados

Benfica

Mais Benfica

Patrocinados