«Anúncios de reforços mexem com o grupo», critica Mozer

20 out 2000, 15:53

Técnico-adjunto sai em defesa do plantel O jogo com o Paços de Ferreira serviu de pretexto para Carlos Mozer assumir a defesa do grupo em relação às anunciadas contratações. O tema da confiança levou o técnico-adjunto a garantir que a equipa «está em crescendo», apesar de estar a atravessar um ciclo competitivo difícil.

O Benfica alcançou a sua primeira vitória com a nova equipa técnica frente ao Belenenses. O técnico-adjunto Mozer diz que «os adeptos podem continuar a esperar desta equipa disposição e colectivismo em busca de novas vitórias», acrescentando que a equipa está a trabalhar bem e motivada: «A motivação dos jogadores é notória, não só nos jogos mas também nos treinos. É um aspecto gratificante para qualquer equipa técnica». 

O único problema, na última semana, tem sido, para o técnico, «o facto de aparecerem muitos nomes de novas contratações nos jornais». Um factor que pode desestabilizar o plantel e Mozer acaba por esclarecer a política adoptada em relação a reforços: «Nós temos uma linha de conduta que passa por reforçar a confiança no plantel. Estamos a reforçar-nos na equipa B e nos juniores. Se a equipa técnica decidir que precisa de reforços, os primeiros a saber serão os jogadores. Entradas e saídas no plantel serão sempre assumidas cara a cara com os jogadores, por uma questão de respeito e amizade». 

Para deixar bem clara a posição da equipa técnica e desfazer qualquer tipo de dúvidas esclarece:«Temos toda a confiança no grupo de trabalho, todos esses reforços que têm sido prometidos vêm de fora. Hoje, por exemplo, fala-se em centrais. Mas já temos seis elementos para essa posição, contando com o Geraldo e o Nuno Abreu, que estão a integrar-se bem na equipa. Para já, não nos fazem falta defesas centrais.» 

«Para jogar na posição de número 10 temos elementos como Miguel, Maniche e Dani, em quem depositamos plena confiança», diz o técnico referindo-se por certo ao anúncio da Lista B, liderada por Manuel Vilarinho, de que caso vencesse as eleições garantiria a contratação do médio ofensivo Roger. «Estes anúncios podem desestabilizar o grupo de trabalho, por isso esta semana fizemos um trabalho destinado a reforçar os níveis mentais dos atletas, passando a mensagem da nossa confiança», refere Mozer. 

Antigo jogador do clube da Luz, Mozer sabe que este tipo de situações afecta os atletas e isso acabou por originar uma brincadeira entre eles no balneário: «Os nomes que têm sido referidos são, para nós, mera especulação eleitoral. Como ex-jogador, sei por experiência que este tipo de coisas perturba sempre o trabalho do grupo. Aliás, hoje no vestiário houve alguém que, a brincar, previu que em Dezembro o plantel ia chegar aos 40 jogadores» 

Também como benfiquista Mozer não deixa de lançar uma mensagem aos candidatos às eleições: «Acho que devia seguir-se outra linha de promoção eleitoral. Somos todos benfiquistas, mas a nossa primeira função como treinadores é levantar a equipa do Benfica.» 

«A equipa está em crescendo» 

Antes de mais um encontro do campeonato nacional Mozer faz um balanço das prestações do Benfica desde que assumiu o seu cargo na equipa técnica: «Começámos o nosso trabalho com um ciclo de jogos muito difícil, frente às equipas-sensação do campeonato. Tivemos um início complicado no Bessa e depois disso fizemos uma sequência muito progressiva e favorável, em que os resultados, infelizmente, não corresponderam ao futebol que a equipa apresentou.» 

O próximo adversário do Benfica é o Paços de Ferreira, uma equipa recém-promovida da II Liga e outra das actuais sensações: «É uma boa equipa, muito aguerrida. Tem muito tempo de trabalho, os jogadores subiram em conjunto à I Liga e isso permite apresentar um colectivo muito forte.» 

Apesar das dificuldades esperadas no terreno dos pacenses Mozer garante que «a equipa está em crescendo» e mais forte, por isso acredita que o Benfica está «em condições de ganhar o jogo». Revela que «não vai haver muitas mudanças» na equipa até porque o objectivo é «montar uma estrutura» o que faz com que a equipa técnica não goste de fazer grandes alterações. 

Confirmadas estão alterações na defesa. Marchena tem tido uma grande sobrecarga de jogos, depois dos Jogos Olímpicos esteve a representar a selecção de sub-21 e foi titular no seu regresso à Luz. Durante a semana a equipa técnica testou a dupla Paulo Madeira e Ronaldo deixando indícios de que o espanhol poderia ser poupado. «Marchena tinha um ligeiro problema de cansaço, mas está tudo ok», disse Mozer na conferência de imprensa. De facto o defesa foi anunciado como um dos convocados, mas acabaria por ser substituído à última hora por Nuno Abreu, devido a uma mialgia de esforço.

Benfica

Mais Benfica

Patrocinados