Inflação na zona euro revista em alta até 2024

Agência Lusa , AM
28 out, 12:16
Banco Central Europeu (GettyImages)

Banco Central Europeu consultou analistas económicos, que antecipam uma estagnação económica em 2023

Os analistas económicos consultados pelo Banco Central Europeu (BCE) reviram em alta as previsões para a inflação na zona euro até 2024, mas mantiveram as estimativas para os preços a longo prazo e antecipam uma estagnação económica em 2023.

O BCE informou esta que os peritos consultados no quarto trimestre também reviram em alta as suas previsões para a inflação subjacente, que exclui a energia, alimentação, álcool e tabaco, para 2024.

Os peritos consultados pelo BCE preveem uma inflação na zona euro de 8,3% em 2022 (contra 7,3% no inquérito anterior), 5,8% em 2023 (contra 3,6%), e 2,4% em 2024 (contra 2,1%).

Ps peritos também antecipam uma inflação média a longo prazo em 2027 de 2,1% (contra 2,2% no inquérito anterior do terceiro trimestre).

Esta revisão em alta reflete, principalmente, preços mais elevados da energia e dos alimentos, mas também um encarecimento de outros produtos para os quais foram transferidos o aumento destes preços e que se espera que conduzam a um crescimento mais elevado dos salários.

O BCE decidiu na quinta-feira aumentar as taxas de juro em 75 pontos base para 2%, o nível mais alto desde janeiro de 2009, após três aumentos consecutivos desde julho, quando o banco começou a aumentar o preço do dinheiro pela primeira vez em onze anos.

Com o aumento das taxas de juro, o BCE pretende conter a inflação na zona euro, que se aproxima dos 10%.

Os peritos também reviram em baixa as previsões de crescimento para 2023, 2024 e a longo prazo, embora esperem que o crescimento seja um pouco mais elevado este ano.

Os peritos consultados pelo BCE previram um crescimento de 3% em 2022 (contra 2,8% no inquérito anterior), 0,1% em 2023 (contra 1,5%), 1,6% em 2024 (contra 1,8%) e 1,4% em 2027 (contra 1,5% no inquérito anterior) e 1,4% a longo prazo (contra 1,5% no inquérito anterior).

Os inquiridos preveem uma contração económica entre o terceiro trimestre de 2022 e o primeiro trimestre de 2023, com uma queda acumulada de 0,7%, devido aos elevados preços da energia, perda do poder de compra das famílias devido à inflação, uma economia global mais fraca e o aumento das taxas de juro.

Os peritos consultados pelo BCE também reviram em alta as suas previsões de desemprego até 2027.

Esperam agora que a zona euro tenha uma taxa de desemprego de 6,8% em 2022 (contra 6,7% no inquérito anterior), 7,1% em 2023 (contra 6,7%), 7% em 2024 (contra 6,6%) e 6,6% em 2027 (contra 6,4% no inquérito anterior).

O BCE conduziu o inquérito entre 30 de setembro e 06 de outubro deste ano e recebeu 59 respostas de peritos de instituições financeiras e não financeiras da União Europeia (UE).

Dinheiro

Mais Dinheiro

Patrocinados