BCE sobe taxas de juro em 75 pontos base, o maior aumento de sempre

8 set, 13:23

EM ATUALIZAÇÃO A taxa diretora está agora em 1,25%. É a maior subida de sempre do Banco Central Europeu, que adverte que não fica por aqui

O Banco Central Europeu (BCE) decidiu aumentar em 75 pontos base as suas três taxas de juro diretoras, o segundo aumento consecutivo deste ano e o maior desde 1998.

A taxa de juro das principais operações de refinanciamento passa de 0,50% para 1,25%, a taxa aplicável à facilidade permanente de cedência de liquidez de 0,75% para 1,50% e a taxa aplicada à facilidade permanente de depósito de 0% para 0,75%. Esta subida tem efeitos a partir de 14 de setembro.

“Este passo importante antecipa a transição do nível extremamente acomodatício prevalente das taxas de juro diretoras para níveis que assegurarão um regresso atempado da inflação ao objetivo de 2% a médio prazo estabelecido pelo BCE”, refere em comunicado o banco central, divulgado após a reunião do Conselho de Governadores.

"O Conselho do BCE tomou a decisão de hoje – e espera continuar a aumentar as taxas de juro – porque a inflação permanece demasiado elevada, sendo provável que se mantenha acima do objetivo durante um período prolongado", adverte o banco central.

BCE revê inflação em alta e prevê estagnação da economia

Numa análise prospetiva, os especialistas do BCE reviram "significativamente em alta" as suas projeções para a inflação, esperando‑se agora que esta seja, em média, de 8,1% em 2022, 5,5% em 2023 e 2,3% em 2024.

Paralelamente, o BCE prevê um "abrandamento substancial" do crescimento económico. Os especialistas esperam agora que a economia registe uma taxa de crescimento de 3,1% em 2022, 0,9% em 2023 e 1,9% em 2024.

"Após uma retoma no primeiro semestre de 2022, dados recentes apontam para um abrandamento substancial do crescimento económico da área do euro, esperando‑se uma estagnação da economia na parte final do ano e no primeiro trimestre de 2023".

 

Economia

Mais Economia

Patrocinados