BCE alerta que bancos europeus subestimam “significativamente” o risco ambiental

2 nov, 16:48
Banco Central Europeu (AP Photo)

Maiores bancos da Zona Euro estimam impacto de 70 mil milhões de euros resultante das alterações climáticas. BCE considera que avaliação subestima “significativamente” o risco real

Os maiores bancos a operar na Zona Euro estimam que as alterações climáticas possam ter um impacto no valor de 70 mil milhões de euros ao longo de três anos. Já o Banco Central Europeu alerta que esta avaliação “subestima significativamente” o risco real.

O alerta do BCE é acompanhado de um ultimato, no qual os bancos a operar na Zona Euro são aconselhados a integrar o risco de alterações climáticas nos seus balanços até ao final de 2024. Caso tal não aconteça, serão aplicadas medidas de fiscalização, alerta o BCE.

No entanto, embora 85% dos bancos na Zona Euro já tenham implementado medidas básicas de avaliação em vários setores, estes continuam longe de identificar e gerir adequadamente os riscos climáticos nos seus balanços.

A mensagem surge no âmbito de uma revisão temática do BCE que teve como objetivo verificar se os bancos identificam e gerem adequadamente os riscos como a perda de biodiversidade. Sob análise estiveram ainda as estratégias de risco dos bancos, bem como os processos de governo e gestão de risco.

O documento destacou que a banca a operar na Zona Euro carece de metodologias sofisticadas para identificar o risco ambiental. “Como resultado, os bancos continuam a subestimar significativamente a amplitude e a magnitude de tais riscos, e quase todos os bancos (96%) possuem um ângulo morto”, esclareceu o banco central.

O BCE antecipa agora um progresso gradual até que os bancos cumpram com as normas de supervisão estabelecidas pela entidade e estabeleceu prazos-limite específicos para cada instituição, além de requisitos vinculativos em mais de 30 bancos.

Relacionados

Economia

Mais Economia

Patrocinados