Quase 50 mortos e mais de 300 feridos em explosão no Bangladesh

Agência Lusa , BMA (Atualizada às 11:45)
5 jun, 08:50

Entre os feridos estão 40 bombeiros e 10 policiais. Enorme explosão fez estremecer prédios a vários quilómetros de distância, segundo relatos de testemunhas

Pelo menos 49 pessoas morreram e mais de 300 ficaram feridas numa explosão química desencadeada por um incêndio num depósito de contentores em Sitakunda, Bangladesh, a 40 quilómetros do principal porto de Chittagong, segundo um novo balanço.

O aumento do número de vítimas já era esperado, porque vários feridos estão em estado crítico e socorristas voluntários, às vezes usando apenas chinelos, tentam retirar cadáveres carbonizados no meio de detritos e informam que continuam ainda vários por retirar.

O incêndio começou no sábado cerca das 21:30 locais (15:30 GMT) num armazém privado que acolhe cerca de quatro mil contentores em Sitakunda, a cerca de 40 quilómetros do principal porto de Chittagong, no sudeste do país.

Centenas de bombeiros acorreram ao local para extinguir o incêndio mas, uma hora após o início do fogo, vários contentores de produtos químicos explodiram, segundo fonte dos bombeiros.

"Mais de 300 pessoas estão feridas", disse à agência AFP Elias Chowdhury, principal autoridade de saúde da região.

Segundo este responsável, várias pessoas ainda estão desaparecidas, incluindo jornalistas que cobriam o incêndio, prevendo que "o número de mortos aumentará, pois as operações de resgate ainda não estão concluídas".

"Ainda há corpos nos locais atingidos pelo incêndio. Vi oito ou 10 cadáveres", contou um trabalhador que foi salvo no desastre.

Entre os feridos estão 40 bombeiros e 10 polícias, segundo o chefe de polícia regional de Chittagong, Anwar Hossain, adiantando que "o número de mortes deverá aumentar porque alguns dos feridos estão em estado crítico".

A enorme explosão fez estremecer prédios a vários quilómetros de distância, segundo relatos de testemunhas.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Ásia

Mais Ásia

Patrocinados