Colapso do SVB era “previsível” e deveu-se à ação da Fed, defende Joseph Stiglitz

ECO - Parceiro CNN Portugal , Mariana Espírito Santo
15 mar, 16:29
Joseph Stiglitz

Prémio Nobel reitera que o colapso do banco norte-americano Silicon Valley Bank era "previsível", nomeadamente devido ao ritmo rápido de subida de juros por parte do banco central

Joseph Stiglitz, Prémio Nobel da Economia, defendeu que o colapso do banco norte-americano Silicon Valley Bank (SVB) era “previsível” e deve-se à ação da Reserva Federal dos EUA. O economista reiterou que a subida de juros foi muito rápida e que a falta de regulação dos bancos mais pequenos teve consequências.

A queda do SVB “foi um distúrbio ao sistema financeiro que era previsível”, sendo que era o que “ia acontecer se subíssemos taxas de juro rapidamente”, reiterou Stiglitz, num debate sobre a resposta à inflação, organizado pela OCDE.

O economista admitiu que era necessário normalizar as taxas de juro, já que estiveram “anormalmente baixas por muito tempo”, mas salientou que “um dos medos da rápida subida era que, por ter havido período de taxa zero, seria maior o impacto”. Assim, a queda do banco especializado em startups acabou por sofrer as pressões dessa subida.

Desta forma, o colapso não se deveu a “maus empréstimos, foi a estrutura de juros que estava a mudar por causa da ação da Fed”. “Primeiro, decidiram não regular os bancos que não são os maiores e teve consequências enormes para a economia dos EUA”, seguindo-se uma mudança das taxas que impôs stress sobre as instituições, que “devia ter sido testado”, argumentou.

O Prémio Nobel salientou que “ninguém disse que o problema foi que emprestaram a empresas digitais que foram à falência”. Existia muita liquidez, sendo que as startups puseram o dinheiro no SVB, mas “cometeram um erro clássico: pensaram que a economia era estável e apostaram na política monetária”, mas depois veio uma “mudança nos juros que não era antecipada”.

Relacionados

Economia

Mais Economia

Mais Lidas

Patrocinados