Sabe quanto assaltos houve a bancos no ano passado na Dinamarca? Zero. Há razões para isso

CNN , Hanna Ziady
3 jan, 18:36
Ciclovia em Copenhaga, Dinamarca

Não houve um único assalto a um banco no ano passado na Dinamarca. No ano 2000 era quase um por dia útil.

O número de assaltos a bancos na Dinamarca caiu para zero no ano passado, à medida que o reforço da segurança e a diminuição do uso de dinheiro vivo no país nórdico tornam os assaltos menos lucrativos.

Os assaltos a bancos têm vindo a diminuir constantemente desde 2000, ano em que se registaram 221, ou um por quase todos os dias em que as agências estiveram abertas.

Em 2021, a Dinamarca teve apenas um assalto a um banco, de acordo com dados do Finance Denmark. A Bloomberg foi a primeira a noticiar os números relativos a 2022.

O aumento da vigilância por câmaras, a melhoria dos sistemas de alarme e uma maior cooperação com a polícia ajudaram a diminuir o número, de acordo com Michael Busk-Jepsen, diretor de digitalização da Finance Denmark.

Outro fator no declínio: uma redução dramática do número de caixas de balcão.

De cerca de 800 agências bancárias na Dinamarca, apenas cerca de 20 ainda têm pessoal a tratar de depósitos e levantamentos, explica Busk-Jepsen à CNN. A maioria dos clientes utiliza uma das cerca de duas mil caixas multibanco do país, acrescenta.

Um salto na utilização de cartões e aplicações de pagamento entre os dinamarqueses significa também que há menos dinheiro em circulação. Os levantamentos de numerário diminuíram cerca de 75% nos últimos seis anos, informou Bloomberg, citando dados do banco central.

A Dinamarca tem uma população de cerca de 5,9 milhões de habitantes, e é regularmente classificada como um dos países mais felizes do mundo. Em 2022, ficou atrás apenas da Finlândia no Relatório sobre a Felicidade Mundial, com uma pontuação elevada em medidas como a esperança de vida saudável, PIB per capita, apoio social e baixa corrupção.

Os assaltos a bancos também estão em declínio noutros países, com o crescimento da utilização da banca digital a dar origem ao cibercrime, como os “hackers” e os esquemas de “phishing”, que visam dados bancários e outras informações pessoais.

Os bancos americanos sofreram 1.724 roubos em 2021, de acordo com as estatísticas de crimes bancários do FBI. Isso é inferior aos 7.556 de 2004.

A fraude bancária online também está a aumentar na Dinamarca, explica Busk-Jepsen. "Antigamente, os assaltantes iam aos bancos, agora vão aos clientes", acrescentou ele.

 

Dinheiro

Mais Dinheiro

Patrocinados