Corpo de baleia levado pela maré em Albufeira encalhou em Silves

Agência Lusa , CV
4 jul, 15:48
Baleia bebé encalhada no rio Tamisa

O animal foi encontrado por agentes da Polícia Marítima

O corpo de uma baleia morta que no domingo deu à costa em Albufeira e foi posteriormente devolvido ao mar pela força da maré encalhou esta segunda-feira de novo numa praia de Silves e foi removida do local, disse o capitão do porto de Portimão.

O cetáceo tinha encalhado, cerca das 18:30 de domingo, na praia dos Salgados, em Albufeira, no Algarve, mas as autoridades não conseguiram chegar a tempo de evitar que o animal fosse de novo arrastado para o mar, tendo o corpo esta segunda-feira voltado a encalhar na praia Grande nascente, em Armação de Pera, concelho de Silves, acrescentou a mesma fonte.

O capitão do Porto de Portimão referiu que o animal foi esta segunda-feira detetado por "agentes do piquete da Polícia Marítima" e "os serviços municipais [de Silves] foram alertados e procederam à remoção da baleia às 13:00".

"A entidade responsável pelos arrojamentos mortos foi também informada e vai ao aterro fazer as perícias", acrescentou Rodrigo González dos Paços, referindo-se a trabalhos que são habitualmente feitos por elementos do Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF) para determinar o que provocou a morte ao animal.

A baleia tinha dado à costa cerca das 18:30 de domingo e aguardava-se a deslocação de equipas da Polícia Marítima, do Serviço Municipal de Proteção Civil de Albufeira e do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) para fazerem análises e iniciarem os procedimentos de remoção, mas o dispositivo “não chegou a tempo de evitar que fosse arrastada pela maré para o mar”, justificou na ocasião o capitão do porto de Portimão, que tem jurisdição em Albufeira e Silves.

A mesma fonte esclareceu que a movimentação do animal iria ser acompanhada, com a expectativa de que pudesse "voltar a ser arrastada para terra para depois ser removida”, o que acabou por acontecer esta segunda-feira de manhã, tendo as autoridades podido fazer a remoção do corpo para uma zona fora do alcance da maré e, depois, para uma área de aterro.

País

Mais País

Patrocinados