Pichardo: «Tinha a certeza que deveria ganhar a prova com aquele salto»

18 ago, 17:07

Campeão da Europa voltou a apontar para o recorde mundial como próximo objetivo

Pedro Pablo Pichardo contou esta quinta-feira que teve a certeza de que se iria tornar campeão da Europa do triplo salto após o segundo ensaio, de 17,50 metros, que lhe deu a vitória e novo título.

«No primeiro ensaio, não me senti muito bem, mas depois, logo no segundo, fiz aquela marca da vitória e senti-me mais tranquilo. Tinha a certeza que deveria ganhar a prova com aquele salto», afirmou, na chegada ao aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, proveniente de Munique, onde decorrem os campeonatos Europeus multidesportos.

Pedro Pichardo voltou a apontar o recorde mundial como o próximo grande objetivo, depois de juntar o título europeu às conquistas mundiais e olímpicas no mesmo ano. «Ainda falta o recorde mundial. Acho que temos essa dívida connosco e com o povo. Estamos a trabalhar para isso», disse o atleta, acompanhado do pai e treinador Jorge Pichardo.

O atleta, de 29 anos, saltou 17,50 metros, superiorizando-se claramente ao italiano Andrea Dallavalle, campeão europeu sub-23 em 2021, por 46 centímetros, e ao francês Jean Marc Pontvianne, por 56 centímetros, que concluíram em segundo e em terceiro.

«Desde os Jogos Olímpicos, tem sido quase sempre pela mesma margem. São 40 ou 50 centímetros do segundo lugar. Não fico muito surpreendido. Tenho muita confiança no meu trabalho e tento sempre dar o meu melhor nas competições», ressalvou Pichardo.

Findo os Europeus, as atenções do saltador viram-se para a final da Liga Diamante, que se realiza no fim de semana de 7 e 8 de setembro, na cidade suíça de Zurique. «Ultimamente tenho competido muito e não tenho tido muito tempo para recuperar o corpo e preparar bem as competições. Agora vou estar duas semanas focado na final da Liga Diamante. Vou recuperar melhor e apostar tudo aí», assegurou.

O campeão europeu, mundial e olímpico continua a ambicionar cada vez mais troféus, respondendo dessa forma a alguns críticos do seu trabalho, que o deixam «chateado». «Há pessoas que não acreditavam nos meus resultados e até duvidavam que ia atingir o que já tenho até hoje. Fiquei chateado e isso ficou na minha cabeça. Vou trabalhar e provar que consigo. Já saltei 18 metros e, para mim, é mais fácil ter os grandes títulos do que saltar os 18 metros», atirou o recordista nacional, com 17,98 metros, já depois de saltar 18,08 metros, ainda ao serviço de Cuba.

Em relação às mensagens de felicitações das mais altas entidades portuguesas, Pedro Pichardo expressou que «é muito gratificante contar com esse apoio», lembrando que A Portuguesa já faz parte dele: «É o meu hino. Sempre que vou competir, penso que tenho de fazer um grande salto e uma grande prova para ouvir A Portuguesa a tocar».

Relacionados

Patrocinados