Tribunal de Hong Kong condena ativista a 40 meses em primeiro caso de sedição

Agência Lusa , RL
20 abr, 07:50
Hong Kong

O ativista foi condenado depois de ter utilizado palavras que incitam o "ódio ou desprezo" contra o governo de Hong Kong

Um tribunal de Hong Kong condenou esta quarta-feira o ativista Tam Tak-chi a 40 meses de prisão e a uma multa de cinco mil dólares (4.632 euros), ao abrigo de uma lei de sedição da era colonial.

Tak-chi, de 50 anos, foi condenado pelo juiz Stanley Chan, no Tribunal Distrital, após ter sido acusado, no mês passado, de 11 crimes, incluindo sete de sedição.

Tam encontra-se detido há mais de um ano, sem hipótese de pagar fiança.

O ativista foi condenado depois de ter utilizado palavras que incitam o "ódio ou desprezo" contra o governo de Hong Kong, incluindo a frase de protesto, agora proibida, "libertar Hong Kong, revolução dos nossos tempos" e "morte às famílias corruptas da polícia", segundo escreveu o jornal The Standard.

Os documentos do tribunal a que o jornal em língua inglesa teve acesso referem também que Tam repetiu estas frases várias centenas de vezes, entre janeiro e julho de 2020.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Ásia

Mais Ásia

Patrocinados