Ataque mata 11 soldados e fere 20 no Burkina Faso

Agência Lusa
20 mai, 09:54
Missão de Paz MINUSMA (FLorent Vergnes/ Getty)

A região africana tem sofrido frequentemente ataques de extremistas islâmicos, desde abril de 2015, perpetrados por grupos ligados tanto à Al-Qaeda como ao Estado Islâmico

Pelo menos 11 soldados morreram e 20 ficaram feridos num "ataque terrorista" a um destacamento militar em Madjoari, no Burkina Faso, anunciou esta sexta-feira o exército.

"Onze soldados foram mortos no ataque. Pelo menos 20 soldados ficaram feridos por estilhaços", disseram as forças armadas, em comunicado.

"O apoio aéreo ajudou a neutralizar pelo menos 15 terroristas que tentavam escapar após o ataque", acrescentou o exército, que pediu aos militares para "manterem o espírito de luta, que é uma das chaves para derrotar o inimigo".

Estes números são mais elevados do que os comunicados na quinta-feira pelas fontes das forças de segurança e relatos da população de Madjoari, de acordo com os quais pelo menos sete soldados tinham morrido.

O Burkina Faso tem sofrido frequentemente ataques de extremistas islâmicos desde abril de 2015, perpetrados por grupos ligados tanto à Al-Qaeda como ao Estado islâmico.

A região mais atingida pela insegurança é o Sahel, que partilha uma fronteira com o Mali e o Níger, embora os movimentos radicais também se tenham alargado a outras áreas vizinhas e, desde 2018, ao leste do país.

A insegurança fez aumentar o número de deslocados internos no Burkina Faso para mais de 1,85 milhões, de acordo com números governamentais.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

África

Mais África

Patrocinados