Tony dos Santos, um luso-belga na dianteira do novo foguetão europeu Ariane 6

Agência Lusa , AM
9 jul, 06:57
Ariane 6 (DR)

Um dos satélites que o Ariane vai transportar e colocar em órbita é o ISTSat-1, um nanossatélite construído por estudantes e professores do Instituto Superior Técnico (IST) que servirá para testar a viabilidade destes engenhos para detetar aviões em zonas remotas

O novo foguetão europeu Ariane 6, que será hoje lançado da Guiana Francesa num voo inaugural levando a bordo um nanossatélite português, tem como gestor de missão o luso-belga Tony dos Santos, a quem se juntarão outros portugueses.

"O meu principal objetivo é garantir que todas as fases da campanha de lançamento decorram de forma harmoniosa e segura", sintetizou à Lusa Tony dos Santos, que trabalha desde 2011 na Agência Espacial Europeia (ESA), responsável pela certificação do voo, e desde 2014 no projeto do Ariane 6.

Na prática, o engenheiro nascido e criado na Bélgica, mas filho de pais portugueses, vai "coordenar todas as atividades" de lançamento, incluindo o controlo da preparação dos sistemas de monitorização de voo, a avaliação pós-voo e a confirmação de parâmetros dos satélites que seguirão a bordo, como comunicação de dados, localização, segurança e sistemas meteorológicos.

Um dos satélites que o Ariane vai transportar e colocar em órbita é o ISTSat-1, um nanossatélite construído por estudantes e professores do Instituto Superior Técnico (IST) que servirá para testar a viabilidade destes engenhos para detetar aviões em zonas remotas.

No lançamento inaugural do Ariane 6, crucial para certificar o foguetão para voos comerciais, a serem operados pela empresa francesa Arianespace, que o construiu, estão envolvidos outros portugueses, nomeadamente dois integrados nas equipas de comunicações, um na organização da análise dos dados de testes e outro ligado aos sistemas mecânicos do foguetão.

Tony dos Santos explicou que o Ariane 6, sucessor do Ariane 5, no qual trabalhou e que fez o seu último voo em julho de 2023, permitirá assegurar "o acesso autónomo e garantido da Europa ao espaço", possibilitando-lhe "cumprir todas as suas missões em investigação científica, iniciativas estratégicas, crescimento económico, mantendo colaborações espaciais internacionais e sustentando a liderança tecnológica da Europa".

Segundo o gestor de missão, a nova gama de foguetões europeus foi construída para ter uma "versatilidade muito maior e custos significativamente reduzidos", permitindo duplicar a taxa de lançamentos para o espaço.

Depois do voo inaugural, Tony dos Santos irá supervisionar todas as atualizações que tiverem de ser feitas ao novo foguetão antes do segundo voo, previsto para ocorrer até ao fim do ano.

Hoje, o primeiro lançamento do Ariane 6, da base espacial europeia, em Kourou, na Guiana Francesa, está previsto para entre as 19:00 e as 23:00 (hora de Lisboa).

Como gestor técnico da base de Kourou, Tony dos Santos acompanhou a construção da plataforma de lançamento do novo foguetão. Na ESA está envolvido em iniciativas de transição energética, no estudo de recuperação de módulos de foguetões e na exploração da possibilidade de voos tripulados a partir da Guiana Francesa.

Vive em Kourou, viveu em Paris, onde trabalhou na extinta empresa francesa Aérospatiale, nasceu, cresceu e completou os estudos na Bélgica, "só visitando Portugal nas férias".

"Tenho dupla nacionalidade, belga e portuguesa. Sabe.. camaleões portugueses", gracejou.

Tecnologia

Mais Tecnologia

Mais Lidas

Patrocinados