Em atualização

AO MINUTO || PS vence as eleições, IL elege tantos como o Chega. BE e CDU com um mandato, Livre e PAN de fora. Montenegro "fará tudo" para que Costa consiga lugar na Europa

Está fechado: oito mandatos para o PS, sete para a AD, dois para Chega e IL. PCP e BE elegem um cada, Francisco Paupério falha a eleição, tal como o PAN. Abstenção recua face a 2019 mas mantém-se elevada: cerca de 62%. Luís Montenegro anunciou este domingo que o Governo "fará tudo" para que António Costa se torne presidente do Conselho Europeu. Lá fora: França vai a eleições após vitória da extrema-direita. Siga tudo aqui, fique ligado na emissão multiplataforma da CNN Portugal (TV + APP)
2024-06-10

MOMENTOS-CHAVE

2024-06-10
03:14
2024-06-10
02:37

Agora divirta-se durante 35 segundos

De "Miguel, estás a ser incerto" ao embaixador que devia ir "sempre atrás", passando por uma "vingança" 30 anos depois. São momentos marcantes dos comentadores da CNN Portugal durante a noite eleitoral deste domingo

2024-06-10
02:35

“O PS ganha mas perde um deputado. Há um discurso exagerado na vitória”

Carlos Moedas destaca que quem vence estas eleições europeias é “o centro moderado da direita” e “não a extrema direita” e que a “esquerda e a extrema esquerda desce”. “Isso é muito importante e isso é claro”, diz, explicando que este cenário é igualmente visível em Portugal.

2024-06-10
02:35

“Esta noite, os portugueses voltaram a mostrar que confiam no Partido Socialista”

"Esta noite os portugueses voltaram a mostrar que confiam no PS". No seu discurso como vencedora destas eleições europeias, Marta Temido prometeu começar a trabalhar no seu novo cargo já "a partir de amanhã" com todos os "que querem começar a construir uma Europa mais forte a favor de todos os portugueses, a favor de todos os europeus".

2024-06-10
02:35

“Não é uma vitória enorme, evidentemente"

Numa análise ao resultado das eleições europeias, em que o PS ficou à frente da AD com uma margem mínima, Alexandra Leitão destaca que "todas as vitórias são valiosas, esta também é uma vitória muito valiosa", até mesmo esta, cuja diferença para a Aliança Democrática “é residual”. A comentadora destaca ainda que se trata de “uma vitória nacional de uma mulher”.

2024-06-10
02:35

“O nosso mandato foi perdido em 2020 e o objetivo de o resgatar era um objetivo difícil”

Inês Sousa Real assumiu a derrota do PAN nestas eleições europeias. A porta-voz do partido admitiu que o objetivo de recuperar o mandato “perdido em 2020” era “difícil” e que, com este resultado, “quem ficou a perder foram as causas que o PAN representa”. Com pouco mais de 1% dos votos, o partido perdeu o lugar no Parlamento Europeu.

2024-06-10
02:33

"Mas alguém acha que os portugueses votaram por causa das minudências do debate da Europa?"

"Essas eleições são nacionais", afirma Pacheco Pereira a propósito dos resultados da noite eleitoral deste domingo. No seu habitual espaço de análise, o comentador nega que os portugueses tenham votado "por causa das minudências do debate sobre a Europa". "Há apenas uma única questão que poderia refletir-se no voto, que é a questão da guerra e da paz, mas nem essa foi discutida em termos suficientemente claros para servir de motivação", remata. 

2024-06-10
02:33

Europeias: "Não deixa de ficar a sensação de que a AD ficou aquém", sem prejuízo da "excelente campanha" de Bugalho

No programa O Princípio da Incerteza desta semana, Miguel Macedo analisa os resultados das eleições para o Parlamento Europeu, que deram a vitória ao PS, com uma ligeira vantagem sobre a AD.

2024-06-10
02:28

PAN perde votos face a 2019 e falha eleição

O PAN falhou no domingo a eleição de qualquer eurodeputado para o Parlamento Europeu, ficando atrás do ADN, depois de em 2019 ter elegido Francisco Guerreiro, que abandonou o partido no ano seguinte.

Com todas as freguesias apuradas, faltando apenas contabilizar os votos de 13 consulados, pelas 01:45, o partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN) tinha 47.969 votos (1,22%), segundo os dados provisórios da Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna (SGMAI), menos 120.449 votos do que no ato eleitoral de 2019. E foi ultrapassado pelo ADN, com 54.063 votos.

Em 2019, Francisco Guerreiro foi o cabeça de lista do PAN e único eleito desta força política nas europeias, as primeiras em que o partido obteve representação em Bruxelas (com cerca de 5% dos votos). No ano seguinte, o eurodeputado anunciou a sua saída do partido por “divergências políticas” com a direção do PAN, mantendo-se no Parlamento Europeu como independente.

No final da noite eleitoral de domingo, a porta-voz do PAN, Inês de Sousa Real, considerou que o Parlamento Europeu “fica mais pobre” sem a representação do seu partido.

Sousa Real discursou depois de o cabeça de lista do PAN às eleições europeias, Pedro Fidalgo Marques, ter admitido a derrota, afirmando que o partido já tinha perdido o seu mandato em 2020, depois da renúncia de Francisco Guerreiro.

“O nosso mandato foi perdido em 2020 e o objetivo de o resgatar era um objetivo difícil, mas nós nunca voltamos as costas a objetivos e a tarefas difíceis, porque quem ficaria a perder e quem ficou a perder foram as causas que o PAN representa”, salientou Pedro Fidalgo Marques.

Nascido em Oeiras, Pedro Fidalgo Marques, 37 anos, é um empreendedor social e cultural, licenciado em Dança e pós-graduado em Ciência Política, e frequenta o doutoramento em Dança na Faculdade de Motricidade Humana, da Universidade de Lisboa.

É membro da comissão política nacional do PAN e vogal da mesa do órgão máximo de direção política entre congressos do partido.

Antes desta candidatura ao Parlamento Europeu, Fidalgo Marques foi já o número três do PAN no círculo eleitoral de Lisboa nas legislativas de março e eleito para a assembleia de freguesia da União de Freguesias de Oeiras e São Julião da Barra, Paço de Arcos e Caxias, em 2017.

2024-06-10
02:27

MAS satisfeito com o resultado, mas lamenta crescimento da extrema-direita

O cabeça de lista do Movimento Alternativa Socialista (MAS) às europeias, Gil Garcia, considerou que o resultado obtido pelo partido “deixa algum otimismo para o futuro”, mas lamentou o crescimento da extrema-direita na Europa.

“Nós estamos muito animados, sinceramente, porque ficamos com uma votação muito próxima da que obtivemos em 2019. Em 2019 não havia o crescimento da extrema-direita”, afirmou Gil Garcia, em declarações à agência Lusa.

De acordo com os dados apurados, o MAS obteve 0,13% nas eleições para o Parlamento Europeu deste domingo, o que representa 5.079 votos.

“Apesar de ser uma votação pequena convém não esmorecer. Estamos ainda dentro da luta. Um sopro de algum otimismo em relação a futuros processos eleitorais”, apontou.

Há cinco anos, nas eleições de 2019, o MAS tinha obtido 0,20%, o que equivale a 6.641 votos.

Apesar do otimismo pelos resultados internos, Gil Garcia lamentou que os partidos de extrema-direita tivessem aumentado a sua votação na Europa, antecipando “tempos perigosos”.

“Confirma-se, infelizmente, o crescimento da extrema-direita que já estava pré-anunciado, quer nos resultados das legislativas, quer noutros países europeus. Obviamente que é muito perigoso para a Europa porque a pode tornar ainda mais objeto de uma nova guerra mundial”, argumentou.

2024-06-10
02:26

Europeias: "Não deixa de ficar a sensação de que a AD ficou aquém", sem prejuízo da "excelente campanha" de Bugalho

No programa O Princípio da Incerteza desta semana, Miguel Macedo analisa os resultados das eleições para o Parlamento Europeu, que deram a vitória ao PS, com uma ligeira vantagem sobre a AD.

2024-06-10
02:26

Extrema-direita derrotada em noite eleitoral de vitória para socialistas e liberais

derrota da extrema-direita portuguesa ocorreu em contraciclo com muitos dos países europeus
Leia mais aqui
2024-06-10
02:10

"Não ficarmos em último já foi bom"

O cabeça de lista do MPT – Partido da Terra às europeias afirmou hoje que o resultado obtido nas eleições de domingo foi o esperado, admitindo que não ser o último "já foi bom".

De acordo com os resultados apurados, o MPT obteve 0,12%, o que corresponde a 4.608 votos.

"Não ficarmos em último já foi bom", disse Manuel Oliveira, em declarações à Lusa, recordando que o MPT já elegeu dois eurodeputados, em 2014.

Para o cabeça de lista, as eleições europeias de domingo foram um "desafio" na medida em que o partido teve de se organizar "desde há um mês", numa candidatura em que o lema são as causas e a integração.

Para um partido que tinha "orçamento zero, penso que mais não poderíamos esperar", prosseguiu.

Manuel Carreira sublinhou que tudo o que sirva "para melhorar a qualidade da ecologia, do humanismo, das causas do verde, é importante" e considerou que a campanha do MPT, apesar de "uma gota no oceano", deu a sua contribuição.

 

2024-06-10
02:05

Inês de Sousa Real diz que Parlamento Europeu "fica mais pobre" sem o PAN e antecipa "grande desafio" da extrema-direita

A líder do PAN lamentou ainda o facto de o partido não ter espaço no comentário político, dando como exemplo o ADN, partido que ficou à frente do PAN, e que “estava praticamente no comentário político todos os dias e chegava a milhões de pessoas”
Leia mais aqui
2024-06-10
02:05

"É uma noite triste para o Livre": Rui Tavares assume derrota, Paupério diz que "nada acaba aqui" e já olha para 2029

Rui Tavares reconhece que “há uma reflexão a fazer”, apesar do crescimento do partido, que duplicou o número de votos em relação a 2019
Leia mais aqui
2024-06-10
02:02

Taxa de abstenção foi 62,94%

As eleições para o Parlamento Europeu registaram no domingo uma taxa de abstenção de 62,94%, segundo dados da Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna (SGMAI).

Às 01:30, numa altura em que estavam por apurar os resultados em 13 consulados, a taxa de participação era de 37,06%, representando 3.945.892 votantes dos 10.647.630 inscritos.

Registaram-se ainda 1,2% de votos brancos e 0,77% de votos nulos.

Há cinco anos, a taxa de abstenção em eleições europeias atingiu quase 70%, uma participação eleitoral que registou mínimos históricos desde as primeiras eleições para o Parlamento, em 1987.

Nessas eleições para o Parlamento Europeu, foram votar apenas 30,75% dos eleitores.

O PS foi o partido mais votado, com 32,1% e oito eurodeputados, nas europeias de domingo, à frente da Aliança Democrática, que teve 31,1% e sete mandatos, segundo os resultados provisórios.

Segundo a SGMAI, o Chega, que elegeu dois eurodeputados, foi a terceira força política, com 9,79%. Também com dois deputados eleitos, a Iniciativa Liberal (IL) obteve 9,07% dos votos.

O Bloco de Esquerda (BE) recolheu 4,25% dos votos e a CDU (PCP/PEV) 4,12%, obtendo um eurodeputado cada.

Mais de 10,8 milhões de eleitores recenseados no território nacional e no estrangeiro votaram no domingo para escolher 21 dos 720 eurodeputados do Parlamento Europeu.

2024-06-10
01:53

Pedro Nuno anuncia estados gerais para construir alternativa ao Governo

Segundo Pedro Nuno Santos, a vitória do PS deu força “à estratégia que o PS delineou e anunciou ao país no dia em que perdeu as eleições legislativas a 10 de março”.
Leia mais aqui
2024-06-10
01:52

"Do ponto de vista nacional o PS resiste e avança", mas "é otimista demais dizer que é o maior partido"

Paulo Portas diz que Sebastião Bugalho cumpriu os objetivos traçados, ainda que a Aliança Democrática tenha ficado “a 1% de ganhar a eleição, como o PS ficou a 1% de ganhar as legislativas”. Em análise aos resultados neste processo eleitoral, o comentador entende que os socialistas “resistem e avançam”, mas considera as declarações de Pedro Nuno Santos “otimistas demais”, quando disse que era o “maior partido português”.

2024-06-10
01:52

Metsola alerta que PE "não trabalha com Governo e oposição" mas com maiorias

A presidente do Parlamento Europeu (PE) alertou hoje que a instituição “não trabalha com um Governo e uma oposição, mas com uma maioria” e anunciou reuniões entre os líderes dos grupos políticos na terça-feira.

 

2024-06-10
01:50

Ventura quer Costa fora de "qualquer cargo do mundo", eurodeputados do Chega querem ir mais novos para Bruxelas

Líder do Chega queria vencer as eleições, acabou com menos de 10%. Mas sublinha: o partido continua a ser a terceira força política
Leia mais aqui