Em atualização

GUERRA AO MINUTO | Zelensky: Trump será “trabalho árduo, mas somos trabalhadores árduos”

Todas as informações mais recentes sobre o conflito na Ucrânia, que começou a 24 de fevereiro de 2022
2024-07-17

O que está a acontecer

2024-06-22
08:13

Kiev denuncia ataque maciço russo contra infraestruturas energéticas

O Ministério da Energia ucraniano disse que as forças armadas russas lançaram, esta madrugada, um novo "ataque maciço" contra infraestruturas energéticas no oeste e no sul da Ucrânia.

"As instalações do Ukrenergo [operador ucraniano], nas regiões de Zaporijia [sul] e Lviv [oeste] ficaram danificadas", disse o ministério, referindo que dois funcionários se encontram hospitalizados em Zaporijia.

Este foi o oitavo ataque maciço a centrais elétricas ucranianas nos últimos três meses, ainda de acordo com o ministério.

As autoridades ucranianas afirmaram na quinta-feira que as infraestruturas energéticas, incluindo uma central elétrica, ficaram danificadas após um forte ataque russo durante a noite, que deixou sete funcionários feridos.

De acordo com o Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, a Rússia destruiu metade da capacidade energética da Ucrânia ao intensificar os ataques.

Zelensky apelou na quinta-feira para a instalação de painéis solares e de unidades de armazenamento de energia "em todas as escolas e hospitais, o mais rapidamente possível".

O diretor executivo da operadora DTEK, Maxime Timtchenko, disse que a Ucrânia se arrisca a ser "confrontada com uma grave crise este inverno" se os parceiros ocidentais não ajudarem.

Kiev tem pedido aos aliados apoio para reconstruir a rede de eletricidade - um projeto que exige elevados investimentos - e fornecer mais equipamento de defesa aérea para combater bombardeamentos russos.

Neste contexto, Washington "tomou a decisão difícil mas necessária" de dar prioridade à Ucrânia em relação a outros aliados, no que diz respeito ao fornecimento de mísseis utilizados na defesa aérea.

Siga ao minuto:

2024-07-18
23:42

Zelensky: Trump será “trabalho árduo, mas somos [os ucranianos] trabalhadores árduos”

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, diz que trabalhar com Donald Trump se ele for eleito como presidente dos EUA em novembro, será  um “trabalho árduo, mas somos [os ucranianos] trabalhadores árduos”.

Numa entrevista exclusiva à BBC em Londres, Zelensky disse estar disposto a trabalhar com qualquer pessoa que esteja no poder nos EUA. Há poucos dias, Trump anunciou o senador JD Vance por Ohio como seu vice-presidente - alguém que no passado disse que não se importa com o que acontece com a Ucrânia. “Talvez ele realmente não se importe, mas temos que trabalhar com os Estados Unidos”, disse Zelensky à BBC.

2024-07-18
22:20

Kim Jong-un recebe vice russo da Defesa

O líder norte-coreano Kim Jong-un, recebeu o vice-ministro russo da Defesa, Aleksey Krivoruchko, e os dois discutiram a importância de as forças armadas dos dois países  trabalharem juntas para defender a paz e a justiça mundial, segundo a agência estatatal coreana KCNA.

2024-07-18
22:14

Putin teme os cada vez mais eficazes ataques de drone da Ucrânia e manda instalar defesas aéreas na sua casa de férias

Os sistemas Pantsir-S1 foram concebidos para combater mísseis de cruzeiro de curto alcance e drones, o que sugere que a sua instalação perto da residência pode ser uma resposta aos ataques de drones cada vez mais audaciosos da Ucrânia
Leia mais aqui
2024-07-18
21:26

A Rússia perdeu pelo menos 100 tanques T-90M

Pelo menos 100 tanques T-90M, uma vez descritos como “o melhor tanque do mundo” por Vladimir Putin, foram destruídos, danificados e abandonados, ou capturados nos campos de batalha da Ucrânia, de acordo com uma investigação da Oryx citada pelo Kiev Independent

“As defesas do T-90 foram desenvolvidas para combater ameaças tradicionais e são menos eficazes contra a nova geração de armas de ataque de topo”, disse ao jornal o especialista em armamento Martin J. Dougherty. Isto é especialmente verdadeiro no caso dos drones – tanto as forças russas como as ucranianas adaptaram-se ao que foi apelidado de “a primeira guerra dos drones”, e a Internet está repleta de vídeos de T-90M a serem abatidos por veículos aéreos não tripulados.

Mas Dougherty aponta para outro fator: o elevado número de perdas de tanques deve-se muitas vezes a "tripulações inexperientes e mal treinadas”.

As perdas totais de tanques da Rússia no mês passado terrão ultrapassado os 8.000.

2024-07-18
21:17

Invasão russa e ajuda à Ucrânia dominam cimeira da Comunidade Política Europeia em Oxford

Estão reunidos mais de 40 líderes europeus na cidade britânica.

2024-07-18
21:17

"Se há coisa que podemos assinalar na manhã desta quinta-feira é que as forças democráticas e pró-europeias venceram"

A eurodeputada do PS Ana Catarina Mendes analisou a recondução de Ursula von der Leyen no cargo de presidente da Comissão Europeia.

2024-07-18
19:58

Peritos da ONU denunciam detenção ilegal de ativista bielorrusso Ales Bialiatski

Peritos da ONU indicaram hoje num parecer que o Nobel da Paz 2022 e opositor ao regime bielorrusso, Ales Bialiatski, está detido arbitrariamente e deve ser imediatamente libertado.

“A privação de liberdade de Ales Bialiatski é arbitrária” e viola designadamente diversos artigos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, escrevem nos peritos no parecer tornado público, que foi adotado em março.

O grupo de trabalho sobre a detenção arbitrária considera que “tendo em consideração as circunstâncias deste caso, a solução apropriada seria a libertação imediata de Bialiatski”, que poderá solicitar compensações em conformidade com a legislação internacional.

Figura destacada dos direitos humanos e co-laureado com o Nobel da Paz 2022, Ales Bialiatski foi condenado em 2023 a dez anos de prisão por “tráfico de divisas”. Já tinha sido detido por duas vezes por “evasão fiscal”. O ativista, 61 anos, fundou e dirigiu durante anos o Viasna, o principal grupo de direitos humanos e uma fonte essencial de informações sobre a repressão no seu país.

2024-07-18
19:42

Zelensky quer destruir os aeródromos de onde saem os aviões russos

O presidente ucraniano Volodymyr Zelensky apelou aos líderes ocidentais para que permitissem o uso das suas armas para destruir alvos militares no território do estado agressor, em particular, aeródromos de onde aeronaves inimigas levantam voo e bombardeiam a Ucrânia.

Segundo o Ukrinform, Zelensky fez este apelo durante o seu discurso na sessão plenária inaugural da Cimeira da Comunidade Política Europeia, que decorre no Reino Unido.

"Quanto menos restrições tivermos ao uso de armas, mais se avançará em direção à paz. Os aviões saem dos aeródromos russos e bombardeiam as nossas crianças e cidadãos. Todos esses aeródromos devem ser destruídos. Isto significará não apenas a destruição de certos alvos, mas também a capacidade da Rússia de continuar esta guerra", disse Zelensky.

2024-07-18
19:02

Orbán quer "diálogo" com Rússia e China e lançar conferência de paz

O primeiro-ministro húngaro revelou hoje que propôs a reabertura dos canais diplomáticos entre União Europeia (UE) e Rússia, a par de dialogar com a China sobre "modalidades da próxima conferência de paz" para o conflito na Ucrânia.

Sem propostas concretas para questões fundamentais nas negociações, como o futuro das regiões da Ucrânia invadidas e anexadas pela Rússia ou retirada das forças russas, o Governo da Hungria divulgou os detalhes de um plano para a resolução do conflito no território ucraniano, iniciado há mais de dois anos com a invasão ordenada por Vladimir Putin, Presidente russo.

No plano - divulgado, segundo sustentou Viktor Orbán na rede social X, na sequência da “divulgação de partes” do documento pelo presidente cessante do Conselho Europeu, Charles Michel - o primeiro-ministro da Hungria propõe, entre outros pontos, a “reabertura de linhas de comunicação diplomática com a Rússia e a reabilitação de contactos diretos na comunicação política” da UE, “mantendo os contactos políticos de alto nível com a Ucrânia”.

Em simultâneo, Viktor Orbán quer “contactos políticos de alto nível” com Pequim “sobre as modalidades da próxima conferência de paz”.

“[Proponho] o lançamento de uma ofensiva política coordenada para o sul global cuja apreciação perdemos a propósito da nossa posição em relação à guerra na Ucrânia, resultando num isolamento global da comunidade transatlântica”, sugeriu Viktor Orbán.

2024-07-18
18:30

"Von der Leyen tem a preocupação de reforçar os valores europeus"

A comentadora da CNN Portugal Helena Ferro de Gouveia analisou o discurso de Ursula von der Leyen no Parlamento Europeu. A alemã foi reeleita presidente da Comissão Europeia esta quinta-feira.

2024-07-18
17:44

Diplomacia russa lastima "crise profundíssima" das relações com Portugal

Zakharova afirmou que a Rússia espera pelo "dia em que Portugal faça uma avaliação real dos acontecimentos, assente em factos verdadeiros e que chegue à conclusão, por fim, que é necessário preservar e desenvolver os laços" entre Lisboa e Moscovo
Leia mais aqui
2024-07-18
17:40

Zelensky apela a von der Leyen para “reforçar a unidade” da UE

O Presidente ucraniano felicitou hoje Ursula von der Leyen, reeleita como Presidente da Comissão Europeia, desejando-lhe sucesso no “reforço da unidade” da União Europeia (UE), que tem a guerra da Rússia contra a Ucrânia à sua porta.

“Desejo à Presidente von der Leyen sucesso na obtenção de resultados para todos os europeus e no reforço da unidade, defesa e poder económico da UE”, afirmou Volodymyr Zelensky na rede social X.

2024-07-18
16:45

Moscovo acusa Kiev de querer abrir Mar Negro à NATO

A Rússia acusou hoje a Ucrânia de querer abrir o Mar Negro à NATO com a nova estratégia de segurança marítima e advertiu que tomará medidas para garantir a segurança da Federação Russa.

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, assinou na quarta-feira um decreto sobre a nova Estratégia de Segurança Marítima, que prevê “mudanças e inovações”, especialmente no Mar Negro, e que é acompanhada por uma estratégia com parceiros internacionais.

O porta-voz do Kremlin (presidência russa), Dmitri Peskov, ao comentar a iniciativa ucraniana, avisou que Moscovo tomará medidas para garantir a segurança do país devido às “ameaças adicionais” colocadas pela presença de navios da NATO na zona.

“A presença concentrada de navios da NATO - e temos em conta a Bulgária e a Roménia, que são Estados litorais da NATO - representa ameaças adicionais para a Rússia, especialmente na situação atual”, afirmou.

Peskov referiu, em particular, o “envolvimento direto dos países da NATO no conflito em torno da Ucrânia”, segundo a agência espanhola EFE.

“É claro que a Rússia vai tomar todas as medidas necessárias para garantir a sua própria segurança”, afirmou.

Peskov lembrou ainda que “a presença de Estados não pertencentes ao Mar Negro” naquelas águas “é regulada de forma muito rigorosa pela Convenção de Montreux”.

“A Turquia é, neste caso, o administrador e desempenha as suas funções de forma muito clara”, acrescentou, citado pela agência espanhola Europa Press.

2024-07-18
15:54

Exército ucraniano retira de outra localidade de Donetsk

O Exército ucraniano anunciou hoje a retirada da localidade de Urozhaine na região de Donetsk (leste), numa nova cedência na linha da frente face a um assalto em larga escala das forças russas, indicou um responsável oficial.

A localidade foi arrasada, “tornando impossível manter aí as nossas posições defensivas”, referiu Nazar Voloshyn, porta-voz das forças terrestres locais, em mensagem enviada à agência noticiosa Associated Press (AP).

A Rússia apoderou-se de Urozhaine nos primeiros dias da invasão militar em larga escala desencadeada em fevereiro de 2022. As tropas ucranianas recapturaram a povoação há cerca de um ano. O Ministério da Defesa russo já tinha reivindicado previamente o seu controlo.

2024-07-18
15:18

Rússia avisa Arménia: aproximação à NATO pode desestabilizar toda a região

A porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Maria Zakharova, defendeu que a aproximação da Arménia à NATO é um motivo de pesar e preocupação, acrescentando que as ações do regime de Erevã representam um risco de desestabilização a toda a região do sul do Cáucaso.

A Arménia, que por tradição era um dos maiores aliados russos, tem reforçado os seus laços com a aliança atlântica nos últimos anos, afastando-se de Moscovo.

2024-07-18
14:48

Reino Unido alarga lista de sanções à Rússia

O Reino Unido juntou novas sanções à Rússia devido à guerra na Ucrânia, relacionadas com o transporte de petróleo ou produtos petrolíferos a partir da Rússia.

2024-07-18
14:46

Ucrânia assina acordos de segurança com Chéquia e Eslovénia   

A Ucrânia assinou acordos de segurança bilaterais a 10 anos com a Chéquia e a Eslovénia, informou o gabinete do presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky.

Juntam-se a acordos que Kiev tem assinado nesta matéria com o Reino Unido, Alemanha, França ou Estados Unidos da América. Ao todo, são já 25 países com este tipo de cooperação.

2024-07-18
14:44

Rússia avisa que não vai aceitar convites “do tipo ultimato” para segunda cimeira para a paz na Ucrânia

A porta-voz do ministério dos Negócios Estrangeiros russo, Maria Zakharova, avisou esta quinta-feira que as tentativas para envolver a Rússia numa segunda cimeira para a paz na Ucrânia são ultimatos que Moscovo não irá aceitar.

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, afirmou na segunda-feira que pretende ter pronto em novembro um plano que permitiria a Kiev realizar uma segunda cimeira de paz. E acrescentou que os representantes da Rússia deveriam marcar presença.

 Delegações de 92 países marcaram presença na primeira cimeira para a paz, realizada na Suíça. A Rússia não foi convidada e encarou o evento como uma perda de tempo.

2024-07-18
13:39
2024-07-18
08:49

Forças ucranianas abatem 16 ‘drones’ lançados pela Rússia

A Rússia atacou na noite de quarta-feira o território ucraniano com 16 ‘drones’ iranianos Shahed, todos abatidos pelas defesas antiaéreas da Ucrânia, declarou hoje a força aérea ucraniana.

Os aparelhos não tripulados foram abatidos nas regiões de Dnipropetrovsk e Poltava (centro), Zaporijia (sudeste), Kiev (norte) e Kharkiv (nordeste).

Além dos 16 ‘drones’, a Rússia lançou três mísseis - dos tipos Kh-59, Kh-69 e Kh-35 - em direção à Ucrânia e dois desses foram abatidos pelas forças ucranianas.

Nas últimas horas, a Rússia também atacou a área de fronteira na região de Sumi (sudeste) com artilharia e ‘drones’ FPV.

Mais perto da frente de combate, na cidade de Glushchivtsi, no distrito de Kupiansk, região de Kharkiv, uma mulher morreu e dois homens ficaram feridos após o lançamento de uma bomba aérea guiada pela aviação russa.

Do outro lado, o Ministério da Defesa russo afirmou ter abatido 33 ‘drones’ aéreos ucranianos durante a noite passada sobre a Crimeia, bem como 10 ‘drones’ navais que se dirigiam para a península anexada por Moscovo em 2014.

"Os sistemas de defesa aérea em serviço destruíram e intercetaram 33 ‘drones’ aéreos sobre [o território da] República da Crimeia", disse o Ministério, num comunicado publicado na rede social Telegram.