Em atualização

GUERRA AO MINUTO | Zelensky agradece a Joe Biden “apoio inabalável à Ucrânia"

Todas as informações mais recentes sobre o conflito na Ucrânia, que começou a 24 de fevereiro de 2022
2024-07-21

O que está a acontecer

2024-05-28
17:17

Porque é que Zelensky pede mais defesas aéreas? Veja estes mapas e gráficos para perceber

O jornalista da CNN Portugal Luís Varela de Almeida explica como a Ucrânia tem sofrido com a falta de defesas aéreas nos últimos meses, lacuna que a Rússia tem aproveitado para atacar todo o país.

Siga ao minuto:

2024-07-22
11:03

UE renova sanções à Rússia por mais seis meses

O Conselho da União Europeia (UE) renovou hoje por mais seis meses as sanções às ações Rússia que desestabilizam a situação na Ucrânia, adotadas pela primeira vez em 2024 e alargadas desde a guerra, em fevereiro de 2022.

Lusa

2024-07-22
09:30

Mais de 270 canais ucranianos do Telegram alvo de hackers russos

Mais de 270 canais ucranianos do Telegram foram hackeados domingo, avançaram os meios de comunicação social do país. 

Os hackers enviaram uma mensagem aos ucranianos dizendo-lhes para “deporem as armas”, escreve a televisão ucraniana Suspilne. Também apareceram mensagens acusando Volodymyr Zelenskyy de iniciar a guerra, acrescentam. 

Numa publicação no Facebook, o serviço de segurança estatal da Ucrânia disse que o ataque cibernético foi realizado pelo serviço russo FleepBot. 

“Em 21 de julho, a publicação em massa de mensagens de natureza provocativa foi registrada em vários canais ucranianos bem conhecidos do Telegram que usavam o software FleepBot para pubicar notícias”, escreveu. 

2024-07-22
08:50

Chefe da diplomacia ucraniana visita China entre terça e quinta-feira

O chefe da diplomacia ucraniana, Dmytro Kouleba, vai visitar a China, o principal parceiro económico e diplomático da Rússia, de terça a quinta feira, para discutir uma solução para a guerra.

"O principal tema de discussão vai ser a procura de formas de travar a agressão russa e o papel da China na obtenção de uma paz duradoura e justa", afirmou o Ministério dos Negócios Estrangeiros ucraniano, em comunicado.

A China afirma ser neutra no conflito, mas nunca condenou a invasão da Ucrânia pela Rússia em 24 de fevereiro de 2022 e recebeu várias vezes o Presidente russo, Vladimir Putin, no seu território desde o início da guerra.

Pequim apela regularmente ao respeito pela integridade territorial de todos os países, o que implicitamente diz respeito à Ucrânia, mas também apela à consideração das preocupações de segurança da Rússia.

2024-07-22
08:33

Ministro Checo diz que entrega de munições à Ucrânia vão acelerar

Uma iniciativa liderada pela República Tcheca para comprar munição de todo o mundo para a Ucrânia, entregará 100.000 munições para o país em julho e agosto, avança esta segunda-feira o mnistro Checo dos Negócios Estrangeirros Jan Lipavsky, escreve a Reuters.
 
"Durante julho e agosto enviaremos cerca de 100 (mil). A partir de setembro essas entregas irão ser mas rápidas", disse Lipavsky em Bruxelas aos jornalistas.

2024-07-22
07:35

Rússia diz ter abatido 75 'drones' ucranianos

A Rússia abateu esta madrugada 75 'drones' ucranianos, 47 dos quais na região de Rostov, no sul do país, num ataque que provocou um incêndio numa refinaria, segundo as autoridades locais.

“As defesas antiaéreas intercetaram e destruíram 47 'drones' sobre a região de Rostov, na fronteira com a Ucrânia”, disse o Ministério da Defesa russo na plataforma de mensagens Telegram.

Além disso, três 'drones' foram eliminados sobre as regiões de Belgorod, Voronezh e Smolensk, outros oito sobre a região de Krasnodar e 17 sobre os mares Negro e Azov.

Um incêndio deflagrou numa refinaria de petróleo em Tuapse, cidade do mar Negro, na região sudoeste de Krasnodar, devido à “queda de detritos de ‘drones’”, notaram as autoridades no Telegram.

“O regime de Kiev tentou mais uma vez usar ‘drones’ para atacar uma infraestrutura civil em Tuapse”, denunciou a mesma fonte, acrescentando que cerca de uma centena de socorristas foram mobilizados para combater as chamas.

De acordo com relatórios preliminares, os ataques não causaram vítimas.

Moscovo anuncia quase diariamente a destruição de 'drones' ucranianos lançados contra território russo.

Kiev justifica os ataques como uma resposta aos bombardeamentos russos que mergulharam a Ucrânia numa guerra de mais de dois anos, afirmando que a prioridade são alvos militares e industriais.

2024-07-22
07:26

Zelensky agradece a Joe Biden “apoio inabalável à Ucrânia"

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, agradeceu hoje ao Presidente do Estados Unidos, Joe Biden, pelo “apoio inabalável à Ucrânia na luta pela liberdade”, e considerou a desistência da corrida presidencial como uma “dura decisão”.

“Iremos sempre estar agradecidos pela liderança do presidente Biden. Ele apoiou-nos no momento mais dramático da História, apoiou-nos a evitar que Putin [presidente da Rússia] ocupasse o nosso país”, escreveu Zelensky na rede social X.

Para o presidente ucraniano, a atual situação na Ucrânia e em toda a Europa também é desafiante, e Zelensky diz esperar que “a América continue a ter uma liderança forte que impeça o mal russo de triunfar e de dar frutos”.

O Kremlin (presidência russa) reagiu ao anúncio de Joe Biden referindo faltarem quatro meses para as eleições, o que é “um longo período durante o qual muita coisa pode mudar”.

“Precisamos de estar atentos, de seguir o que vai acontecer”, indicou o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov ao site Life.ru.

O Presidente norte-americano, Joe Biden, anunciou a desistência da corrida às eleições presidenciais, justificando com o interesse do Partido Democrata e do país e afirmou que pretende terminar o mandato.

O líder dos Estados Unidos disse ter “a maior honra” da sua vida nas funções que ocupa há quase quatro anos, porém cedeu às pressões do seu próprio partido após o mau desempenho no primeiro debate televisivo, em junho passado, da corrida à Casa Branca contra o antigo Presidente (2017-2021) e candidato republicano, Donald Trump.

Pouco depois de ter anunciado a sua desistência, o Presidente norte-americano declarou o seu "apoio total” à sua vice-Presidente, Kamala Harris, como candidata presidencial do Partido Democrata às eleições de 05 de novembro.

2024-07-21
18:30

Zelensky acredita em fim da "fase quente" da guerra no final do ano

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, acredita que é possível acabar com a “fase quente” da guerra no final do ano, desde que haja unidade internacional e se mantenha o roteiro traçado na Cimeira da Paz na Suíça.

"Acredito que se nos mantivermos unidos e seguirmos, por exemplo, o formato da Cimeira da Paz, podemos acabar com a fase quente da guerra. Podemos tentar fazê-lo no final deste ano", disse Zelensky, em entrevista hoje à BBC, durante uma visita ao Reino Unido.

O Presidente ucraniano falou das suas intenções de desenvolver um plano para acabar com os combates no seu país, com apoio dos parceiros ocidentais, que devem, por seu lado, pressionar a Rússia a concordar em sentar-se à mesa e pensar em acabar com a guerra.

Zelensky já disse recentemente que aceitava que os representantes russos estivessem numa segunda cimeira, que deverá ter lugar no final do ano, e atingir um plano de paz finalizado.

Antes disso, no final de julho ou início de agosto, haverá reuniões de conselheiros de ministros sobre questões de segurança, especificamente segurança energética, provavelmente no Qatar.

2024-07-21
14:43

Rússia diz ter intercetado dois bombardeiros norte-americanos no Ártico

A Rússia informou hoje ter enviado caças para intercetar dois aviões bombardeiros militares de longo alcance dos Estados Unidos que se aproximaram da fronteira russa sobre o Mar de Barents, no Ártico.

“As tripulações dos caças russos identificaram o alvo aéreo como um par de bombardeiros estratégicos B-52H da Força Aérea dos Estados Unidos”, divulgou o Ministério da Defesa russo no Telegram, especificando que os aviões enviados eram caças MiG-29 e MiG-31.

A mesma fonte acrescentou que “quando os caças russos se aproximaram, os bombardeiros estratégicos dos EUA afastaram-se da fronteira estatal da Federação Russa”.

Os Estados Unidos realizam habitualmente voos sobre águas internacionais.

Moscovo respondeu recentemente de forma mais agressiva aos exercícios, acusando, em junho, os norte-americanos de utilizarem os seus voos de reconhecimento com 'drones' sobre águas neutras do Mar Negro para ajudar a Ucrânia a atacar a Crimeia ocupada pelos russos.

2024-07-21
11:20

Polónia pede à União Europeia cooperação com os EUA para combater desinformação russa

A Polónia quer que a União Europeia lance uma campanha, em conjunto com os Estados Unidos da América, para combater a desinformação russa que tem como objetivo semar a divisão entre os dois blocos.

“Neste momento crítico da história, é imperativo que tomemos medidas coletivamente rápidas e robustas para fortalecer as relações transatlânticas através da comunicação estratégica sobre a UE nos EUA”, pode ler-se num documento preparado para a reunião de ministros dos negócios estrangeiros da União Europeia, obtido pela Reuters.

2024-07-21
11:12

Ucrânia destrói 35 drones em ataque russo a Kiev

As forças ucranianas destruíram 35 drones shahed durante um ataque russo à capital ucraniana, durante a madrugada deste domingo, avança a Força Aérea da Ucrânia.

Segundo os militares ucranianos, três mísseis balísticos Iskander e dois mísseis Kh-59 foram disparados contra Kiev, mas vários acabaram por não atingir os seus alvos devido a medidas de guerra eletrónica.

2024-07-20
20:19

Houve uma “boa conversa” entre Trump e Zelensky: vão reunir-se em breve

Donald Trump pediu a Volodymyr Zelensky para não acreditar naqueles que dizem que a sua eventual vitória nas presidenciais norte-americanas será boa para a Rússia. O candidato republicano diz que isso não passa de “fake news”, ou seja, notícias falsas. Os dois líderes falaram ao telefone na sexta-feira e até combinaram reunir-se em breve.

2024-07-20
17:50

Trump pede a Zelensky para não acreditar que eleição pode favorecer a Rússia

O ex-Presidente norte-americano e candidato republicano à Casa Branca, Donald Trump, pediu ao líder ucraniano, Volodymyr Zelensky, para não acreditar que a sua vitória eleitoral pode beneficiar a Rússia, disse hoje o porta-voz da presidência de Kiev.

"Trump disse uma coisa interessante: pediu para não se acreditar na informação de que a sua vitória [nas presidenciais em novembro] poderia ser benéfica para a Rússia. Chamou a esta tese uma informação falsa e pediu para não se acreditar nela", indicou Serhii Nykyforov na televisão ucraniana após o político republicano e Zelensky terem conversado por telefone na sexta-feira.

O Presidente ucraniano, por sua vez, exortou Trump a não acreditar nos representantes dos países que tentam explicar e justificar de alguma forma as ações do líder russo, Vladimir Putin, segundo o seu porta-voz.

"Não há desculpas aqui. Ele [Putin] é um assassino comum. O Presidente disse isso. (...) falou sobre o ataque de ontem em Mykolaiv [sul da Ucrânia], no qual morreram pessoas novamente. Também discutiram e condenaram o ataque de 08 de julho em Okhmatdyt", disse Nikiforov, referindo-se ao bombardeamento russo de um hospital pediátrico em Kiev.

O porta-voz disse ainda que é cedo para falar de uma data para um encontro entre Zelensky e Trump.

“Acordámos com o Presidente Trump discutir numa reunião pessoal quais os passos que podem levar a uma paz justa e verdadeiramente duradoura”, referiu Zelensky na sexta-feira à noite na rede social X, depois de falar com o candidato republicano à presidência dos Estados Unidos.

2024-07-20
17:28

6,7 mil milhões de euros: ministro da Defesa alemão quer aumentar despesa militar face à "ameaça real da Rússia"

O Ministro da Defesa alemão, Boris Pistorius, quer pressionar por um aumento das despesas com a defesa para o próximo ano. Ao jornal Tagesspiegel, numa entrevista publicada hoje, garantiu que o aumento já planeado é insuficiente.

O orçamento prevê um aumento das despesas com a defesa de 1,2 mil milhões de euros, ao passo que Pistorius pediu um aumento na ordem dos 6,7 mil milhões de euros. “Vou continuar a promover a ideia de que a Bundeswehr ( Forças Armadas unificadas da Alemanha) deve receber os fundos necessários, tendo em conta a ameaça real da Rússia. A próxima oportunidade para isso será o processo de revisão parlamentar”, disse Pistorius.

“No governo federal, precisamos de ter outra discussão fundamental sobre como queremos garantir a nossa segurança. Não estava satisfeito com o resultado antes da decisão do governo, e certamente não estou satisfeito com ele agora”, acrescentou o ministro.

2024-07-20
17:14

Distanciamento e pragmatismo: a “única hipótese que Trump tem em cima da mesa” para resolver o conflito na Ucrânia

Ana Miguel dos Santos, especialista em assuntos de Segurança e Defesa, acredita que o distanciamento e o pragmatismo de Trump poderão ser as suas melhores armas para mediar a guerra na Ucrânia.

2024-07-20
17:14

Cedência territorial da Ucrânia à Rússia seria "o estilhaçar do Direito Internacional"

Análise de Orlando Simões, especialista em Relações Internacionais, em direto na CNN Portugal, este sábado.

2024-07-20
16:44

Cedência territorial da Ucrânia à Rússia seria "o estilhaçar do Direito Internacional"

Análise de Orlando Simões, especialista em Relações Internacionais, em direto na CNN Portugal, este sábado.

2024-07-20
15:45

Ataques russos deixam milhares de pessoas sem eletricidade

A Rússia atacou com drones durante a última noite as instalações do operador do sistema de eletricidade nas regiões de Poltava, no centro da Ucrânia, de Sumi (nordeste), e de Chernihiv (norte), deixando milhares de pessoas sem energia.

A empresa Ukrenergo indicou no Telegram que a maioria dos consumidores teve o fornecimento de energia elétrica restabelecido, mas continuam os trabalhos de reposição de emergência para milhares de outras pessoas afetadas.

Na região de Poltava, quase quatro mil pessoas estão sem eletricidade e 700 sem água, segundo a Administração Regional Militar.

Em Chernihiv, os russos também atingiram as infraestruturas energéticas, disse o governador, Vyacheslav Chaus, no Telegram, sem revelar o impacto nos consumidores.

2024-07-20
14:26

Antiga deputada defensora da língua ucraniana morreu depois de baleada

Iryna Farino, antiga deputada da Ucrânia e conhecida pela sua cruzada para promover a língua ucraniana, morreu depois de ter sido baleada na rua por um agressor desconhecido, foi este sábado divulgado.

A mulher, de 60 anos, sobreviveu inicialmente ao ataque de sexta-feira na cidade de Lviv, no oeste do país, mas veio a morreu num hospital devido aos ferimentos.

As autoridades procuram o atacante, que fugiu do local, e estão a tratar o caso como um homicídio.

“Todas as câmaras de vigilância disponíveis estão a ser utilizadas, estão a ser realizadas entrevistas a testemunhas e vários distritos estão a ser analisados. Todas as pistas estão a ser investigadas, incluindo a que leva à Rússia”, informou este sábado o presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskyy, no seu canal oficial do Telegram.

O governante garantiu que “todas as forças necessárias da Polícia Nacional da Ucrânia e do Serviço de Segurança da Ucrânia foram destacadas para procurar o criminoso”.

2024-07-20
14:04

Espanha detém suspeitos de ataques informáticos pró-russos

A polícia espanhola anunciou este sábado a detenção de três pessoas acusadas de participarem em ataques informáticos de um grupo pró-russo contra instituições públicas e setores estratégicos em Espanha e noutros países da NATO.

Os ataques visavam países que tinham apoiado a Ucrânia na sua luta contra a invasão russa. Dois dos suspeitos foram detidos em Huelva e Sevilha, no sul de Espanha, enquanto o terceiro foi detido nas Ilhas Baleares, de acordo com fonte da Guarda Civil.

Foram detidos por "infrações informáticas com intenção terrorista" na sequência de uma série de ataques de recusa de serviço (DDoS), que tornam indisponíveis sítios Web ou recursos de rede, inundando-os com tráfego malicioso.

"Os ataques foram dirigidos contra instituições públicas e empresas de setores estratégicos de países que apoiam a Ucrânia", acrescentou.

2024-07-20
12:14

Zelensky convida Donald Trump para visitar a Ucrânia

O presidente, Volodymyr Zelensky, convidou o Donald Trump para visitar oficialmente a Ucrânia, durante uma chamada telefónica entre os dois, avança o porta-voz da presidência ucraniana, Serhii Nykyforov.

“Zelenskyy instou Trump a não acreditar nos representantes de países que tentam explicar ou justificar as ações de Putin. Não há justificativas para isso, é claro. Ele é apenas um assassino comum, como afirmou o presidente em conversa telefónica”.