"Saída abrupta" e "nova polémica". A demissão de Horta Osório na imprensa internacional

17 jan, 12:18
Imprensa internacional sobre Horta Osório

The Wall Street Journal, Bloomberg, Financial Times e Reuters são algumas das publicações que estão a dar especial destaque à saída do português

Passados apenas nove meses depois de ter assumido o cargo, António Horta Osório deixou a presidência do Credit Suisse Group, após quebrar as regras de prevenção da covid-19 na Suíça e no Reino Unido. 

O jornal norte-americano The Wall Street Journal realça que o português se demitiu na sequência de uma investigação do próprio Credit Suisse Group, com sede em Zurique.

“Credit Suisse disse ao fim do dia de domingo que o sr. Horta Osório se tinha demitido no seguimento de uma investigação coordenada pela direção do grupo. A investigação examinou a sua conduta, incluindo a viagem que violou a regras de prevenção contra a covid-19”, pode ler-se no The Wall Street Journal.

A notícia está a receber particular destaque na imprensa económica internacional. A Bloomberg explica que o português tinha regressado à Suíça do Reino Unido a 28 de novembro e partido para a Península Ibérica antes de um período de quarentena obrigatório de 10 dias ter terminado.

Antes, Horta Osório já teria quebrado as regras em julho de 2021, quando assistiu às finais de ténis de Wimbledon em Londres, contrariando as regras de prevenção no Reino Unido.

“O banqueiro com a missão de recuperar o Credit Suisse Group AG foi afastado após apenas nove meses no cargo, por ter violado a regras de quarentena da covid-19, atirando a gigante financeira suíça para uma nova polémica enquanto esta luta para emergir de uma série de escândalos”, diz a Bloomberg.

O jornal Financial Times destaca que Axel P. Lehmann, membro da direção, vai ser o substituto de Horta-Osório, com efeito imediato. A publicação lembra ainda que o português deixa o cargo após quebrar as regras pandémicas em duas ocasiões.

“Axel Lehmann foi escolhido após o antigo chefe da Lloyds pedir desculpa por incumprir com as medidas pandémicas em várias ocasiões. (…) Credit Suisse encontra segunda violação da quarentena de covid-19 de Horta Osório”, realça o Financial Times.

Já a agência Reuters garante que o Credit Suisse vai manter a estratégia que estava a ser seguida apesar da saída do estratega Horta Osório.

“Credit Suisse vai manter a estratégia na sua maioria apesar da saída abrupta do seu criador António Horta Osório, no seguimento de uma violação interna das regras da covid-19”, enaltece a Reuters.

"Lamento que algumas das minhas ações pessoais tenham levado a dificuldades para o banco e comprometido a minha capacidade de representar o banco interna e externamente. Por conseguinte, acredito que a minha demissão é do interesse do banco e das suas partes interessadas neste momento crucial", anunciou Horta Osório em comunicado citado pela Bloomberg.

Os detalhes das infrações de quarentena, no âmbito das medidas de combate à covid-19, surgiram há pouco mais de um mês.

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Líderes

Mais Líderes

Patrocinados