António Costa e Pedro Nuno Santos: o que aconteceu a esta relação? “Os políticos não têm de ser amigos. Tem é de haver uma certa lealdade"

30 jun, 14:01
Pedro Nuno Santos e António Costa

Sempre foram públicas as picardias entre o primeiro-ministro e ministro das Infraestruturas. A questão do aeroporto em Alcochete não é, na verdade, a primeira situação em que António Costa desautoriza Pedro Nuno Santos, que há muito está perfilado como possível sucessor à frente do Partido Socialista

Pedro Nuno Santos chegou ao Governo pela mão de António Costa, que, em 2015, o nomeou secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, com a importante missão de fazer a ponte entre o Governo com os parceiros de geringonça. A relação entre Pedro Nuno Santos e António Costa nunca foi pacífica, mas foi também Costa quem, em 2019, nomeou Pedro Nuno Santos como ministro das Infraestruturas, tutelando dossiers importantes e sempre muito polémicos, como a TAP.

“Eram próximos. Ainda antes de formarem Governo já andavam juntos. Quando Pedro Passos Coelho formou Governo, eles os dois e Mário Centeno andavam sempre juntos”, recorda o politólogo José Fontes, em declarações à CNN Portugal.

O analista sublinha, contudo, que a política não se faz de amizades: “Os políticos não têm de ser amigos. Tem é de haver uma certa lealdade. Churchill costumava dizer que os inimigos não estavam do outro lado. Estavam na própria bancada.”

Uma lealdade que, segundo o politólogo, poderá ter faltado aqui, já que Pedro Nuno Santos anunciou “uma decisão de uma enorme dimensão envolvendo um enorme investimento”, numa altura em que António Costa estava fora do país, participando na cimeira da NATO, em Madrid, e tendo sido surpreendido pelo movimento do ministro.

O passado de uma relação conturbada

A questão do Aeroporto em Alcochete não é, contudo, a primeira situação em que António Costa desautoriza de forma óbvia Pedro Nuno Santos. Em junho de 2021, o ministro convidou Miguel Frasquilho para continuar à frente da TAP, como chairman. Um convite que chegou a ser aceite. Contudo, o primeiro-ministro trocou as voltas a Pedro Nuno Santos, que teve de retirar o convite e anunciar novos nomes para a transportadora aérea.

Durante a campanha para as últimas eleições legislativas, em janeiro de 2022, Pedro Nuno Santos encabeçou a lista socialista pelo distrito de Aveiro. No comício de 25 de janeiro, no Centro Cultural de Congressos de Aveiro, com Costa na sala, Pedro Nuno Santos ignorou o secretário-geral do PS durante o discurso. Enquanto todos os cabeças de lista de todos os distritos faziam referência ao secretário-geral nos seus discursos, Pedro Nuno Santos nunca se referiu a Costa.

Meses antes, em agosto de 2021, no Congresso do Partido Socialista que reelegeu António Costa como secretário-geral do PS, Pedro Nuno Santos chegou atrasado e não falou. António Costa desvalorizou. "O PS é um partido livre onde todos podem falar, mas onde todos também têm direito ao silêncio, se assim o entenderem. Essa não é a questão do Congresso", disse na altura o secretário-geral socialista, em entrevista à SIC.

Futuro de Pedro Nuno Santos no PS

Pedro Nuno Santos é um dos nomes mais falados para suceder a António Costa dentro do Partido Socialista (PS). Em dezembro do ano passado, em entrevista à CNN Portugal, António Costa admitiu que Pedro Nuno Santos podia ser seu sucessor, quer no partido, quer no Governo.

“Sim, é provável. Tem boa idade para, no futuro, se for essa a vontade da generalidade dos socialistas, que seja ele. (…) Felizmente, o PS tem muitas e muitos recursos humanos altamente qualificados e preparados para poderem exercer funções de liderança e para poderem exercer funções de primeiro-ministro”, disse António Costa.

De acordo com o politólogo José Fontes, a decisão anunciada esta quarta-feira pelo ministério liderado por Pedro Nuno Santos sobre o novo aeroporto pode, contudo, ser “um tiro no porta-aviões” para o ainda ministro das Infraestruturas.

“Parece que há aqui uma ambivalência e uma bipolaridade. Ao mesmo tempo que tem tanta experiência política, toma esta atitude… ou isto é pensado por ele, ou é de uma grande ingenuidade”, diz o professor de Ciência Política.

O especialista lembra ainda, por exemplo, que "Pedro Nuno Santos é um homem mais próximo da ala mais à esquerda do PS”, o que desagrada a muitas figuras socialistas.

“Mas a política e a memória na política dependem muito das circunstâncias. Já anunciámos a morte de tantos políticos e eles ressuscitam… O tempo político é tão variável que não podemos prever nada com certezas”, ressalva o especialista, para quem, apesar de mais esta polémica, Pedro Nuno Santos ainda tem tempo de virar a situação a seu favor.

A CNN Portugal tentou contactar mais politólogos para analisar a relação entre Costa e Pedro Nuno Santos, mas, até ao momento, mostraram-se cautelosos em comentar o sucedido e não quiseram prestar declarações.

Governo

Mais Governo

Patrocinados