Costa considera inaceitável e repugnante tortura de imigrantes em Odemira

Agência Lusa , PF
17 dez 2021, 16:22
António Costa (EPA/Kenzo Tribouillard)

Primeiro-ministro salienta ainda que a Inspeção-Geral da Administração Interna "tomou medidas" face ao sucedido

O primeiro-ministro, António Costa, qualificou esta sexta-feira como “absolutamente inaceitáveis” os comportamentos dos militares da GNR acusados de humilharem e torturarem imigrantes em Odemira, sublinhando que as autoridades judiciárias e a Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI) atuaram.

“Felizmente, elas [as imagens] já foram vistas em bom tempo pelas autoridades judiciárias. São imagens que têm já mais de dois anos e há mais de dois anos que esta investigação criminal está a ser desenvolvida pela Polícia Judiciária, pelo Ministério Público. Mostra que ninguém, obviamente, está acima da lei e que comportamentos daquela natureza são absolutamente inaceitáveis, sejam nas forças de segurança, sejam por qualquer pessoa”, defendeu António Costa.

O chefe do Governo falava em declarações à RTP e Antena 1, sublinhando que “não é possível aceitar esse tipo de comportamento”. “Sei também que alguns desses agentes já foram punidos, um deles até com a pena de expulsão da Guarda Nacional Republicana. Portanto, a Inspeção-Geral da Administração Interna também atuou e também tomou medidas”, sustentou também o primeiro-ministro.

António Costa explicou que não viu as imagens mas que as mesmas lhe foram descritas e acrescenta que  “ninguém que as tenha visto pode ter outro sentimento” que não seja de repugnância.

Relacionados

Governo

Mais Governo

Patrocinados