Costa comenta a reunião entre Marcelo e Montenegro: esse encontro não é aquilo "que efetivamente importa aos portugueses"

Agência Lusa , BC
18 abr 2023, 15:52
António Costa visitou supermercados no dia em que entrou em vigor a isenção temporária de IVA (Foto: António Pedro Santos)

Primeiro-ministro diz ainda que não tem as "orelhas a arder"

O primeiro-ministro desdramatizou esta terça-feira a hipótese de ficar “com as orelhas a arder” após a reunião entre o líder do PSD e o Presidente da República, afirmando-se antes concentrado no combate ao aumento do custo de vida.

Depois de ter visitado ao fim da manhã dois hipermercados da zona de Telheiras, em Lisboa, para assinalar a entrada em vigor do IVA zero aplicado a produtos alimentares considerados essenciais, António Costa foi interrogado pelos jornalistas se teme ficar com “as orelhas a arder” depois da reunião entre Luís Montenegro e Marcelo Rebelo de Sousa no Palácio de Belém.

“Não, não”, reagiu imediatamente. Segundo o líder do executivo, o seu dever é concentrar-se “naquilo que efetivamente importa aos portugueses”. “O que verdadeiramente importa aos portugueses é o aumento do custo de vida, os preços da alimentação estarem a subir e procurar encontrar soluções. O que me cumpre fazer é falar com a distribuição, com a produção e adotar as medidas necessárias, como foi o caso da redução do IVA para que as pessoas possam ter um menor custo no consumo de bens alimentares”, defendeu.

Neste ponto, António Costa tentou também realçar que, enquanto primeiro-ministro, não lhe compete fazer “comentário político”. “Não é fazer declarações políticas. É agir para resolver problemas. Essa é a função de um primeiro-ministro. A função dos outros é a sua. A minha é esta.”

Confrontado com as críticas feitas esta manhã por Luís Montenegro à política fiscal seguida pelo executivo socialista, o líder do executivo disse que “é normal a oposição achar que o Governo governa mal e o Governo ter soluções diferentes da oposição”. “Essa é a grande vantagem da democracia”, acrescentou.

Relacionados

Governo

Mais Governo

Patrocinados