Costa diz que permanência de Medina "não está de modo algum em causa" pela polémica da TAP: "Fez o que devia fazer"

2 jan, 19:42
António Costa (Lusa/Tiago Petinga)

O primeiro-ministro responde assim aos pedidos do líder do PSD para demissão de Fernando Medina do Governo

O primeiro-ministro garantiu esta segunda-feira que a permanência de Fernando Medina no Ministério das Finanças "não está de modo algum em causa" na sequência da polémica indemnização de Alexandra Reis pela sua saída antecipada da TAP.

"O ministro das Finanças, quando tomou conhecimento de uma situação que tinha a ver com a atribuição de uma indemnização que, independentemente da sua legalidade, chocou o país, fez o que devia fazer, que foi convidar a secretária de Estado a demitir-se", declarou António Costa, em conferência de imprensa.

Fernando Medina tem vindo a ser pressionado pelos partidos da oposição a tomar a mesma decisão de Pedro Nuno Santos, que apresentou a demissão na sequência das notícias que davam conta de uma indemnização de 500 mil euros pela saída antecipada de Alexandra Reis da TAP, antes de assumir funções no Governo como secretária de Estado do Tesouro.

Muitos têm sido os analistas e comentadores políticos que questionam o papel de Fernando Medina neste caso, apesar de o ministro já ter garantido que não tinha conhecimento da indemnização de Alexandra Reis.

O primeiro-ministro quebrou assim o silêncio relativamente aos pedidos de demissão de Fernando Medina, deixando de lado essa opção e salientando a vontade do Governo em garantir a "estabilidade na execução das políticas" que, assegurou, será possível com a promoção de João Galamba e Marina Gonçalves a ministros das Infraestruturas e da Habitação, respetivamente.

Relacionados

Governo

Mais Governo

Patrocinados