Ângela Ferreira está grávida do marido que morreu em 2019. Toda a história no Jornal Nacional da TVI 

20 fev 2023, 15:00

É o primeiro caso de inseminação pós-morte em Portugal

Ângela Ferreira, a mulher que deu a cara pela luta da legalização da inseminação pós-morte em Portugal, está grávida de Hugo, o marido que morreu em 2019 e que deixou escrito que queria que a mulher tivesse um filho com o sémen que criopreservou ainda em vida.

Primeiro bebé através de inseminação pós-morte em Portugal (Foto: TVI/CNN)

O caso foi divulgado na série documental  "Amor sem fim", exibida em 2020, que levou ao debate da nova lei da inseminação pós-morte. A história vai ser desenvolvida esta segunda-feira, na estreia do Jornal Nacional da TVI.

Na altura, mais de 100 mil pessoas juntaram-se à causa desta mulher e assinaram uma petição que obrigou a Assembleia da República a discutir a alteração à lei. Rapidamente, vários partidos mostraram-se solidários e apresentaram também projetos de lei no mesmo sentido. Depois de um veto do Presidente da República, a nova lei da procriação medicamente assistida, conhecida como "Inseminação post mortem", entrou em vigor em novembro do ano passado.

Patrocinados