"Os portugueses disseram que querem um governo da AD com o Chega. Seremos irresponsáveis se não o concretizarmos": Ventura

10 mar, 20:41

Líder do Chega anuncia o "fim do bipartidarismo em Portugal" numa noite "absolutamente histórica"

O líder do Chega, André Ventura, anunciou o fim do "fim do bipartidarismo" em Portugal numa "noite absolutamente histórica", mostrando-se disponível para "trabalhar para que haja um governo estável" no país

"Absolutamente histórico. Haverá uma maioria forte à direita para governar. A partir desta noite, temos de começar a trabalhar para que haja um governo estável em Portugal", afirmou. 

O líder do Chega diz que apesar de não ter vencido, fez algo “histórico”, que permite ao Chega negociar um Governo com a AD e com a Iniciativa Liberal. As sondagens às bocas das urnas a apontarem para um resultado que pode superar aos 20%, o Chega pode mesmo triplicar a sua bancada parlamentar, podendo eleger até 50 deputados.

“Os portugueses manifestaram-se e disseram claramente que querem um Governo entre o Chega e a AD, cabe agora aos líderes políticos interpretar o que foi expresso. Não há um país que eu conheça em que um dos blocos da maioria tem mais de 20% e não há governo”, refere.

André Ventura apelou ainda à responsabilidade dos líderes dos partidos da direita para que aprovem um governo e aprovem o orçamento, algo que só é possível com o apoio do Chega.

André Ventura diz que o resultado é claro: a Aliança Democrática pediu uma maioria e "os portugueses disseram que querem um governo da AD com o Chega", apontando a responsabilidade para a Luís Montenegro. 

"Os portugueses deram-nos uma maioria. Seremos totalmente irresponsáveis se não concretizarmos com um governo. Temos de dar um governo a Portugal. Estamos disponíveis para construir um governo em Portugal", frisou André Ventura. 

Partidos

Mais Partidos

Patrocinados