«Vejo o brilhozinho nos olhos de quem quer continuar a entusiasmar»

2 jan, 15:56
Paulo Jorge Pereira

Paulo Jorge Pereira, selecionador de andebol, no dia em que anunciou os convocados para o Europeu

Paulo Jorge Pereira divulgou neste domingo a lista de 20 convocados para o Europeu de andebol que se vai disputar de 13 a 30 de janeiro e da qual ainda vão ‘cair’ dois nomes.

Em conferência de imprensa via Zoom, o selecionador nacional assumiu que foi difícil fazer a convocatória, tendo em conta os casos de covid-19 em alguns jogadores no final de dezembro, aos quais há a juntar várias baixas por lesão.

«Tem sido brutal. Cada dia é uma coisa diferente. Refiz a convocatória inicial três vezes. Com tudo o que está a acontecer, volto a dizer que os melhores vão ser os que se adaptarem mais rapidamente à mudança», começou por dizer, antes de garantir a confiança na equipa.

«Acho que todos vamos estar mais preparados. Nos últimos dois anos tem sido brutal. Tem sido tudo anormal. Mas tenho a certeza que podem contar connosco», assegura.

Paulo Jorge Pereira diz mesmo que o grupo de trabalho lhe tem dado as mesmas sensações de 2020, quando Portugal surpreendeu todos ao assegurar o sexto lugar no Europeu.

«No treino, as sensações que temos tido no grupo, faz-nos lembrar o estado em que entrámos em 2020. Quando chegámos ao estágio, vi todos com vontade enorme e estamos a trabalhar cada vez melhor. Vejo-os com tanta vontade e com aquele brilhozinho nos olhos, que nos dá ainda mais vontade de continuar a entusiasmar toda a gente», elogia.

Sobre o grupo, mais jovem do que aqueles que conseguiram classificações históricas no Europeu (2020) e no Mundial (2021), além da presença nos Jogos Olímpicos, o treinador enaltece a qualidade e ‘loucura’ dos novos jogadores que se juntam ao grupo.

«Já perdemos dois ‘malucos’: o André Gomes e o Luís Frade. Mas ganhámos outros. Já conheço o Martim [Costa] há muitos anos e dá-nos coisas incríveis em termos de tática individual. Depois, vi o Daniel [Vieira] fazer 10 golos ao Benfica. Têm um potencial espetacular. Temos de lhes dar asas para voar. Se houver oportunidade, eles também poderão ajudar a seleção. Por vezes abrem-se as portas para eles e só temos de as escancarar mais», defende.

Já sobre os objetivos para o Europeu, no qual Portugal vai defrontar Hungria, Islândia e Países Baixos no grupo B, o técnico aponta, primeiro, à passagem à segunda fase.

«O nosso grande objetivo é passar à main-round. Isto pode parecer um retrocesso naquilo que temos dito, mas não é. Se passarmos, temos um objetivo escrito para atingir. Mas se conseguirmos passar, garantimos logo não ter de jogar o primeiro play-off do Mundial de 2023», justifica.

Relacionados

Seleção

Mais Seleção

Patrocinados