A "busca" nas partes íntimas, a violação com uma garrafa: o que Amber Heard revelou no julgamento que perdeu

1 jun, 21:23
Amber Heard (GettyImages)

Chegou ao fim o processo judicial mais mediático dos últimos tempos nos Estados Unidos. Foram sete semanas cheias de depoimentos e acusações mútuas. Amber Heard foi condenada a pagar 15 milhões de dólares por difamação

SAIBA MAIS
Johnny Depp vence processo contra Amber Heard - e tem direito a 15 milhões de dólares. Mas a atriz vai receber dois milhões por também ter sido difamada
Fezes na cama, o áudio comprometedor: o que Johnny Depp revelou no julgamento que venceu

 

Amber Heard começou a testemunhar a 5 de maio, acusando Johnny Depp de vários episódios de violência, o primeiro dos quais terá começado por causa de uma tatuagem. O consumo excessivo de álcool e drogas foi apontado como o principal fator para o comportamento agressivo do ator.

A agressão por causa da tatuagem 

Heard afirmou que o primeiro episódio de violência ocorreu quando esta se riu de uma das tatuagens de Johnny Depp, que dizia "Wino Forever" - Depp namorou com a atriz Winona Ryder. A atriz contou que levou uma chapada e que se riu porque "não sabia mais o que fazer". Depois disso, explicou, Johnny Depp ter-se-á ajoelhado a chorar e pediu desculpa. A atriz diz que foi a partir daqui que os alegados episódios de raiva e violência por parte do ator se começaram a tornar-se mais frequentes e mais intensos, muito por causa da dependência que tinha do álcool, das drogas, mas também por causa de "ciúmes doentios".  Para além de situações de violência física, recordou vários episódios de abuso emocional e psicológico, como a tentativa de destruição de um quadro feito pela ex-companheira.

A história do cão colocado fora do carro em movimento

Heard contou ainda que o ator, durante uma viagem de carro, e alegadamente sob o efeito de cocaína e bebidas alcoólicas, terá segurado num dos cães do casal e tê-lo-á colocado fora da janela do veículo que se encontrava em movimento. "Toda as pessoas que estavam no carro... nunca me vou esquecer... ficaram simplesmente paralisadas. Ninguém fez nada". Mais tarde, Amber Heard veio a ganhar a custódia dos animais.

A "busca" nas suas partes íntimas

A atriz disse que o ex-marido a acusava de esconder droga e que o ator chegou mesmo a "fazer uma busca" na suas partes íntimas. Não especificou o ano em que isto aconteceu, mas garantiu que foi durante umas férias no Hicksville Trailer Palace, em Joshua Tree, Estados Unidos. 

A ausência das marcas de agressões

Heard afirmou que nunca foi vista em público com marcas de agressões por parte do ator graças à sua experiência em disfarçar hematomas com maquilhagem. "Devia ver como estava debaixo da maquilhagem", respondeu Heard quando questionada pela advogada do ator Camille Vasquez, sobre as  fotografias tiradas nos dias seguintes à alegada agressão, em que a atriz surgia sem marcas aparentes.

A violação com uma garrafa

Sobre uma violenta discussão na Austrália, em março de 2015, durante a qual Depp acabou por perder parte de um dedo, a atriz afirmou que o ex-marido (que alega ter sido a vítima nesta discussão) a agrediu sexualmente com uma garrafa e que os pés e os braços ficaram cortados pelos vidros. A atriz afirmou que o ex-marido tê-la-á penetrado com uma garrafa, enquanto gritava "eu vou matar-te". "Ele estava a enfiar aquilo dentro de mim uma e outra vez", disse, enquanto olhava para baixo, abanava a cabeça e soluçava. "Lembro-me de olhar à volta, olhar para todas as garrafas partidas, para os vidros estilhaçados e lembro-me de não me querer mexer porque não sabia se aquela garrafa que ele tinha dentro de mim estava partida."

Este episódio já tinha sido relatado no testemunho de Dawn Hughes, psicóloga especialista em violência interpessoal, que relatou vários episódios de violência psicológica, física e sexual alegadamente perpetrados pelo ator. 

Questionada pela advogada de Depp se tinha procurado cuidados médicos ou fotografado as provas da agressão, Heard respondeu que não porque "não queria dizer a ninguém". A atriz disse que a violência se tornou quase como algo normal no casamento, mas justificou os próprios atos como mecanismos de defesa, e chegou mesmo a afirmar que o ex-marido a diminuiu como mulher. "Às vezes, para me provocar, agarrava-me pela zona púbica. Agarrava-me por essa zona e puxava-me para ele. Ele perguntava-me: “És uma durona do caraças. Olha para ti agora, durona. Queres-te armar em homem? Julgas que és dura como um homem?", contou.

Heard falou ainda das constantes alucinações de Johnny Depp e revelou que o ator se automutilava e apagava cigarros no próprio corpo.

O dinheiro que não foi doado

Heard prometeu que faria uma doação de 3,5 milhões de dólares dos 7 milhões de dólares que recebeu no processo de divórcio à União Americana pelas Liberdades Civis (ACLU), organização que ajudou a atriz a escrever o artigo do Washington Post que começou o processo de difamação. A atriz afirmou várias vezes que tinha feito as doações, mas a advogada de Depp acusou a atriz de fazer declarações falsas.

A estrela de "Aquaman" defendeu-se afirmando que não tinha ainda feito doações por “estar a ser processada” pelo ex-marido, mas Vasquez lembrou que o valor do acordo foi pago quase seis meses antes do processo judicial ter sido iniciado.

 

Artes

Mais Artes

Patrocinados