Ex-patroa diz que irmã de Amber Heard lhe confidenciou que pensava que a atriz "ia matar Johnny Depp"

25 mai, 13:08
Johnny Depp

Equipa jurídica de Amber Heard terminou as alegações e foi a vez dos advogados do ator voltarem a interrogar testemunhas para refutar o que foi apresentado em tribunal. Alegações finais estão marcadas para sexta-feira

Entrou na reta final o julgamento que coloca Johnny Depp e Amber Heard frente a frente em tribunal. Ao 21.º dia de julgamento, a defesa da atriz terminou a apresentação das alegações sem, no entanto, chamar Depp a depor como tinha dado a entender que faria. 

Perante o fim das alegações, tiveram início as refutações dos advogados do ator que, segundo o canal Law and Order, começou por apresentar o depoimento do presidente da DC Films, produtor de Aquaman, Walter Hamada. Gravado em março, o testemunho de Hamada contradiz a versão de Amber Heard de que a sua participação no filme teria sido reduzida por causa do processo.

“Desde as primeiras fases do desenvolvimento do argumento, o filme foi construído em torno da personagem de Arthur e da personagem Orm. Arthur sendo Jason Momoa e Orm sendo Patrick Wilson. Eles foram sempre os coprotagonistas do filme", afirmou Hamada, acrescentando que nunca planeou ter Heard como coprotagonista.

O produtor de Aquaman foi ainda mais longe e disse mesmo que Momoa e Heard "não tinham grande química juntos".

Testemunho de Walter Hamada é exibido em tribunal (EPA)

Também o testemunho de Jennifer Howell foi gravado em março e exibido esta terça-feira em tribunal. A antiga patroa da irmã da atriz, Whitney Heard Henriquez (que em tribunal afirmou que chegou a ver-se no meio das discussões verbais e físicas entre a irmã e o ex-marido), veio contrariar uma das teses apresentadas pela defesa de Amber Heard - Whitney “está a fazer algo muito errado” ao apoiar as acusações da atriz contra Depp. No entanto, diz acreditar que Whitney está apenas​ “a tentar proteger a irmã”.

Segundo a Associated Press, o testemunho da diretora diretora executiva e fundadora da organização sem fins lucrativos The Art of Elysium foi "curto" (menos de 15 minutos) e Howell parece abandonar o interrogatório antes dos advogados concluírem as perguntas. Mas, num documento apresentado em tribunal, Howell conta, ao longo de quatro páginas, que Whitney lhe confidenciou que Heard era a agressora numa das discussões com o ator e que, alegadamente, lhe terá dito que pensava que a irmã "ia matar Johnny". 

Testemunho de Jennifer Howell é exibido em tribunal (EPA)

A testemunha que, afinal, não é fã de Depp

No 21.º dia de julgamento foram ainda ouvidos Morgan Night, proprietário de um parque de caravanas no Parque Nacional Joshua Tree, na Califórnia, que Amber Heard alegava ser "um grande fã de Depp" e que a tinha visto a ser agredida pelo ex-marido dentro da propriedade.

Perante o tribunal, Night afirmou que o casal esteve no parque em 2010, mas que não viu nenhum tipo de violência por parte de Depp, mas que quando o casal abandonou o local, a caravana em que ficaram tinha vários danos, conta o canal Law and Order.

“Os vigilantes disseram-me que havia danos numa das caravanas e era a do senhor Depp e da senhora Heard. Por isso, fui inspecionar a caravana porque estava extremamente preocupado", recorda, contando que apenas uma luz estava partida.

Morgan Night é ouvido em tribunal (EPA)

Night foi ainda protagonista de um momento de descontração no tribunal quando foi questionado pela advogada de Depp, Camille Vasquez, se era um grande fã de Depp. 

"Não, não sou", afirmou, perante uma audiência que se ria.

TMZ tenta impedir jornalista de testemunhar

Esta terça-feira, o site TMZ entrou com um pedido urgente para impedir o jornalista Morgan Tremaine de testemunhar no caso. De acordo com a Associated Press, a publicação está preocupada que Tremaine seja testemunha de Depp e viole o princípio de confidencialidade que a empresa garante às fontes.

Recorde-se que Heard negou em tribunal ter dado dicas aos paparazzi de que iria tentar obter uma ordem de afastamento do ator depois de ter pedido o divórcio, em 2016. 

“Com este pedido, o TMZ procura uma ordem de proteção que impeça o senhor Tremaine de divulgar informações privilegiadas do TMZ durante o depoimento. O TMZ não tem certeza se o Sr. Tremaine vai aparecer por causa de uma intimação de julgamento. Se assim for, o TMZ também solicita que o Tribunal anule a intimação", lê-se no pedido.

O caso começou a ser julgado a 11 de abril e as alegações finais marcadas para a próxima sexta-feira. Ao longo de quatro dias, Johnny Depp prestou depoimento, sendo confrontado com mensagens, vídeos e áudios das discussões entre o casal. Também Amber Heard foi ouvida ao longo de quatro dias.

Neste processo de difamação, Depp exige 46 milhões de euros à ex-mulher, tendo a atriz avançado com acusação semelhante, mas exigindo 93 milhões.

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Artes

Mais Artes

Patrocinados