Álvaro Sobrinho paga caução de seis milhões de euros

20 mai, 21:18

A CNN Portugal sabe que o antigo banqueiro fez o depósito milionário numa conta do Estado, o que passa a permitir-lhe circular no espaço europeu enquanto decorre o inquérito do Ministério Público

Seis milhões de euros depositados na conta do Estado. Foi assim que Álvaro Sobrinho respondeu nos últimos dias ao juiz Carlos Alexandre, que lhe impôs a caução mais alta de sempre em Portugal.
 
O antigo banqueiro, suspeito de ter desviado mais de 500 milhões do BES Angola, a que presidiu entre 2010 e 2013, estava há dois meses proibido de sair do país, até que pagasse a caução, e já o fez.
 
A CNN Portugal sabe que Sobrinho fez o depósito milionário, o que passa a permitir-lhe, a partir de agora, circular no espaço europeu enquanto decorre o inquérito do Ministério Público.

Segundo a investigação, terá montado um esquema de desvio de fundos do banco através da concessão de empréstimos milionários a testas de ferro.
 
Está indiciado, por isso, de crimes de burla agravada, abuso de confiança e branqueamento de capitais.
 
Quando foi interrogado, em março, o luso-angolano entregou o passaporte que o impede de sair da Europa e ficou sujeito a apresentações periódicas à polícia. E ficou sujeito à caução de seis milhões, caso quisesse circular na Europa.
 
Tentou, primeiro, dar como garantia de caução imóveis de luxo na grande Lisboa, mas já estavam arrestados e o juiz não aceitou. E agora decidiu pagar mesmo, em dinheiro, para resolver o problema.
 
Com este pagamento bateu todos os recordes em Portugal, uma vez que o antigo ministro Manuel Pinho, no caso EDP, estava sujeito a uma caução do mesmo valor mas não a pagou para sair de prisão domiciliária.

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Patrocinados