Os nossos animais de estimação fazem parte do problema climático. Estas dicas podem ajudá-lo a minimizar as suas pegadas de carbono

CNN , Kimberly Richardson
21 set, 08:00
Os nossos animais de estimação fazem parte do problema climático. Estas dicas podem ajudá-lo a minimizar as suas pegadas de carbono (CNN)

A sua dieta, maioritariamente de carne, é o maior contribuidor para as pegadas de carbono dos animais de estimação

Os nossos amigos de quatro patas não conduzem SUV que consomem gasolina nem usam aparelhos que gastam energia, mas isso não significa que não tenham um impacto climático. Na verdade, os investigadores apuraram que os animais de estimação desempenham um papel significativo na crise climática. 

Mas o que Barkley e Whiskers têm que ver com o aquecimento do planeta? São os produtos que compramos para eles que têm de ser analisados mais atentamente. 

A sua dieta maioritariamente de carne é o maior contribuidor para as suas pegadas de carbono, o que requer uma abundância de energia, terra e água para produzir. E a produção de ração emite enormes quantidades de gases que aquecem o planeta. 

Segundo um estudo de 2017, a alimentação de cães e gatos cria o equivalente a cerca de 64 milhões de toneladas de dióxido de carbono nos EUA, todos os anos. É aproximadamente o mesmo impacto que 13,6 milhões de carros na estrada. E, se os nossos amigos peludos formassem um único país, ficaria em quinto lugar no consumo global de carne atrás da China, dos EUA, do Brasil e da Rússia, segundo o professor da UCLA e autor desse estudo, Gregory Okin. 

Mas não entre em pânico. Despedir-se dos seus melhores amigos não é a resposta. 

Além de toda a alegria que proporcionam, os animais de estimação têm um impacto positivo na nossa saúde física e bem-estar mental. Ter um animal de estimação na família está associado a menos stress, a menos ataques cardíacos, a índices mais baixos de depressão e ao aumento da autoestima. 

"O nosso trabalho não significa que somos 'contra' ter animais de estimação", disse Pim Martens, professor de Desenvolvimento Sustentável da Universidade de Maastricht e que investigou o impacto dos animais de estimação no planeta. "Também há muitos benefícios. Apenas esteja atento aos efeitos colaterais.” 

Então, o que deve fazer um dono preocupado de um animal de estimação? Aqui ficam algumas formas de minimizar o impacto ambiental dos seus animais de estimação, enquanto cuidam da sua “frota peluda”. 

Faça uma avaliação da dieta do seu animal de estimação 

Em primeiro lugar e mais importante, os donos responsáveis que pretendam fazer alterações significativas na dieta do seu animal de estimação, devem falar com o veterinário para garantir que é adequada às necessidades do animal. 

Na verdade, se for um orgulhoso dono de um felino, nem sequer devia pensar em mudar a dieta. Os gatos são carnívoros, devem comer carne, segundo Angela Frimberger, veterinária da Vets for Climate Action. 

Os cães, por outro lado, são omnívoros e não precisam necessariamente de comer carne a todas as refeições, muito menos bife do lombo. 

"Quero sinceramente que os animais de estimação sejam alimentados com uma dieta de boa qualidade e nutricionalmente apropriada para eles", disse Frimberger. "Mas para a maioria dos animais de estimação saudáveis, a tendência de lhes dar ingredientes de qualidade premium tem que ver com o nosso hábito de encarar as necessidades dos nossos animais com base no que gostaríamos, em vez do que eles realmente precisam ou gostam. Devemos lembrar-nos de que o que nos é apelativo não corresponde necessariamente à qualidade nutricional que o animal de estimação precisa." 

Frimberger observou que há novos produtos alimentares no mercado que vale a pena averiguar, sobretudo para cães, incluindo carne cultivada em laboratório. 

Um estudo de 2014 apurou que os insetos são uma nutritiva fonte de proteína para os animais de estimação. 

"As rações à base de insetos podem ser nutricionalmente completas e estão a começar a entrar no mercado em todo o mundo", disse Frimberger. "Também podem ser uma solução para os animais de estimação que têm alergias alimentares a fontes proteicas tradicionais." 

E, claro, só alimente o seu animal de estimação com a quantidade de que precisa. Ele será mais saudável e sentir-se-á melhor se não tiver excesso de peso. 

Diminuir os resíduos 

Compre brinquedos a pensar genuinamente no bem-estar do seu animal de estimação. Resista ao impulso de fazer compras sem necessidade. (CNN) 

Embora artigos como brinquedos, tigelas, areia, sacos para excrementos e trelas sejam necessários para o seu animal de estimação, devemos estar atentos à durabilidade, à cadeia de fornecimento e se o produto é reciclável. Isso é tão importante como o próprio produto. 

Para os gatos, procure a opção de areia mais amiga do ambiente, como aquela feita a partir de materiais orgânicos em vez de argila. Embora a argila seja um mineral natural do solo, deve ser extraída, o que contribui para a erosão do solo, destruição de habitats e contaminação das águas subterrâneas. 

Para os cães, escolha sacos de fezes biodegradáveis e apanhe sempre os dejetos, esteja onde estiver. A pesquisa apurou que se não apanharmos os dejetos dos cachorros, isso pode causar o surgimento de microrganismos nocivos, como lombrigas, E. coli e giardia, que podem sobreviver no quintal até quatro anos, o que é um risco para a saúde dos seres humanos. 

Okin recomenda deitar os dejetos do animal pela sanita abaixo. 

"O nosso sistema de água foi concebido para lidar com resíduos tóxicos e para manter esses poluentes fora do ambiente", disse Okin. Apenas se certifique de que não despeja outras coisas na sanita como sacos de dejetos ou areia de gato. Apenas despeje fezes. 

E embora possa ser tentador vestir os seus animais para saídas e feriados, é importante comprar itens tendo apenas o bem-estar do animal de estimação em mente. Por outras palavras, pergunte-se o seguinte: o que é que o animal de estimação realmente precisa, e o que está a comprar apenas para satisfazer a vontade de fazer compras. 

"Temos de pensar nas reais necessidades do animal de estimação em vez do nosso impulso para o consumismo", disse Frimberger. 

Adotar de forma responsável

Os animais de estimação mais pequenos, incluindo ratos, pássaros e tartarugas, têm um impacto climático menor. (CNN)

A regra geral é a de que os animais de estimação maiores terão um impacto climático maior do que os mais pequenos, sobretudo pelo facto de precisarem de mais alimento. Por isso, pode ter em consideração raças ou espécies mais pequenas, se pretende minimizar o seu impacto no planeta. A pegada de carbono de um Chihuahua será muito menor do que a de um São Bernardo, por exemplo. 

Também deve ter em consideração que algumas raças de animais tendem a ter mais problemas de saúde. 

"Evitar animais com conhecidos problemas de saúde reduzirá a necessidade de intervenção veterinária, que tem uma pegada de carbono, e o mais importante é que reduzirá o sofrimento desnecessário em termos de saúde e bem-estar", disse Gudrun Ravetz da Vet Sustain. 

"Pequenos roedores e pássaros são ótimas opções", disse Okin. "Cobras, tartarugas e répteis também podem ter um impacto muito baixo, para aqueles que gostam deste tipo de animais." 

Clima

Mais Clima

Patrocinados