Subida de preços terá repercussões nos hábitos alimentares de mais de 90% dos portugueses

9 nov, 15:40
Too Good To Go ajuda a evitar desperdício alimentar (Foto: divulgação)

Maior planeamento das refeições, a compra de menos produtos e menos idas aos restaurantes são algumas das consequências listadas

Face ao atual contexto de inflação, 94% dos portugueses consideram que o aumento de preços que terão mais impacto na sua vida são os com a alimentação, só depois aparecendo os relacionados com energia, transportes e habitação. A quase totalidade (92%) dos inquiridos revela mesmo que o aumento de preços terá repercussões nos seus hábitos alimentares. Maior planeamento das refeições, a compra de menos produtos e menos idas aos restaurantes são algumas das consequências listadas, revela o estudo “Barómetro FOOD 2022”, realizado no âmbito do Programa FOOD, do grupo Edenred, com o apoio da União Europeia e que, em Portugal, tem a Direção-Geral de Saúde como entidade parceira.

Cerca de 20% dos inquiridos assinalam mesmo que o aumento dos preços irá refletir-se numa menor qualidade nutricional das suas refeições. E os impactos sentidos seriam ainda mais acentuados se não recebessem o subsídio de alimentação através de cartão de refeição.

“A maioria revela que se deixasse de receber em vale social perderia poder de compra, o que teria efeitos ao nível das idas a restaurantes e da qualidade nutricional das suas refeições”, afirma a Edenred.

O inquérito — com base em 3.356 respostas de utilizadores do cartão Euroticket Refeição Edenred — revela que 79% dos participantes prestam mais atenção a uma alimentação saudável, sobretudo depois da pandemia (73%). “Face a esta mudança, 90% dos portugueses esperam hoje uma oferta mais saudável por parte dos restaurantes, com produtos frescos, informação nutricional clara, indicação clara de “opção saudável” na ementa, opções vegetarianas e/ou veganas e mais saladas”, refere o barómetro.

Situação que se reflete no tipo de restaurantes procurado: 49% dos responsáveis de estabelecimentos, no último ano, registaram um aumento na procura por refeições saudáveis/equilibradas, sendo que uma larga maioria dos restaurantes (91%) já disponibiliza opções mais saudáveis/equilibradas nas suas ementas, incluindo pratos vegetarianas/veganas.

Uma larga maioria dos inquiridos (88%) mostra-se igualmente preocupado com o desperdício alimentar e 91% gostaria de saber quais os restaurantes que atuam contra o desperdício. Do lado da restauração, 64% afirma já ter implementado esse tipo de medidas. “Embalagens para levar sobras, adaptação da ementa ou de receitas, gestão de stocks, parcerias com apps ou serviços de combate ao desperdício e parcerias com bancos alimentares são as ações mais comuns.”

As conclusões do “Barómetro FOOD 2022” em Portugal baseiam-se em 3.356 respostas de utilizadores do cartão Euroticket Refeição Edenred, consumidores incluídos na população ativa, e de responsáveis de restaurantes pertencentes à rede de estabelecimentos Euroticket Edenred.

Relacionados

Economia

Mais Economia

Patrocinados