Pandemia: Durão Barroso insta Europa a ter “papel mais construtivo”. E pede transparência aos fabricantes de vacinas

Agência Lusa , DCT
18 jan, 00:05
presidente da GAVI - Aliança Global para as Vacinas, José Manuel Durão Barroso

Durão Barroso deixou ainda uma mensagem também para os países beneficiários, afirmando que devem preparar-se para a implementação em larga escala, fazendo uso de todo o financiamento e apoio disponíveis

O antigo presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, instou esta segunda-feira a Europa a ter um “papel mais construtivo” face à pandemia da covid-19 e elogiou a decisão da UE de avançar para a mutualização da dívida.

Numa intervenção, por videoconferência a partir de Lisboa, na abertura da primeira Conferência Anual da Política Externa (CAPE), realizada por Cabo Verde, através de um ato presencial na cidade da Praia, o antigo primeiro-ministro de Portugal sublinhou que a União Europeia tem vindo a afirmar progressivamente aquilo que é conhecido como autonomia estratégica.

Quando vemos potências mais assertivas, mais agressivas ou mais imprevisíveis, os europeus têm tido a tendência para entenderem que têm que defender os seus interesses de forma mais política e não apenas técnica”, constatou, dizendo que isso está agora na agenda da atual presidência da União Europeia, que é exercida pela França.

“E penso que a União Europeia pode aí ter um papel mais construtivo. A União Europeia tem, de facto, quando os países que a compõem estão unidos, um papel e um peso maiores do que aquilo que normalmente se reconhece”, salientou o atual presidente da Aliança Global para as Vacinas (GAVI), para quem a UE continua a ser um bloco económico global de grande influência.

Durão Barroso pede solidariedade aos doadores e transparência aos fabricantes de vacinas

Nós, juntamente com a União Europeia, a AIDVAX e outros parceiros, estamos empenhados em garantir um acesso rápido e equitativo às vacinas de covid-19, ajudando os países a cumprir as suas metas nacionais de vacinação. Mas para atingir essas metas, nomeadamente à luz do surgimento da variante Ómicron, é necessário que os parceiros também nos ajudem”, pediu José Manuel Durão Barroso.

No sábado, Durão Barroso anunciou, na rede social Twitter, que o mecanismo internacional de partilha de vacinas para a covid-19 Covax atingiu os mil milhões de doses distribuídas em 144 países.

 

O mesmo responsável voltou a sublinhar esses números, considerando que é fruto de um “esforço notável” dos doadores, apesar de várias dificuldades, mas defendeu que se pode fazer mais.

Nós podíamos ter distribuído muito mais vacinas se tivesse havido uma maior ajuda por parte de alguns dos nossos parceiros. Os doadores devem observar os princípios da nossa intervenção conjunta sobre doações de doses, em particular garantir que as doações tenham pelo menos 10 semanas de vida útil, e venham com acessórios como seringas, diluente e também custos de frete incluídos”, sugeriu.

Quanto aos fabricantes das vacinas, disse que devem observar a transparência nos cronogramas de entrega e priorizar a Covax sobre negócios bilaterais, garantindo um fornecimento estável e previsível.

Durão Barroso deixou ainda uma mensagem também para os países beneficiários, afirmando que devem preparar-se para a implementação em larga escala, fazendo uso de todo o financiamento e apoio disponíveis, incluindo do Banco Mundial ou outros bancos multilaterais de desenvolvimento.

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Covid-19

Mais Covid-19

Patrocinados