Os alemães ofereceram um mês de viagens de comboio ilimitadas por 9 euros. Eis o que aconteceu

CNN , Julia Buckley
10 set, 19:00
Bilhete de 9 euros na Alemanha (CNN Internacional)

Ao deslocar-me a pé do centro da cidade de Brühl para a estação de comboios, passei por um local considerado património mundial da UNESCO. O Palácio de Augustusburg, do século XVIII, um dos primeiros exemplos da arquitetura rococó, atrai visitantes de todo o mundo. Brühl, a 18 quilómetros a sul de Colónia, tem uma rua principal bastante pedonal, hectares de área verde e o Museu Max Ernst – o artista nasceu aqui. 

E como é que eu sei isto? Devido ao bilhete ferroviário ilimitado de 9 euros da Alemanha

Nunca quis ir a Brühl nem nunca pretendi fazer turismo na Alemanha, mas tinha um voo de ligação durante a noite em Düsseldorf e planeava fazer algum trabalho no hotel e passear depois pela cidade. 

Porém, devido a um conselho de um funcionário do aeroporto de Düsseldorf, mudei de ideias. Estava prestes a comprar um bilhete de comboio para andar pela cidade, com um custo de três euros, quando ele sugeriu que eu comprasse a opção de 9 euros.  

"Pode ir a qualquer lado", disse. 

Castelo de Augustusburg em Brühl (picture alliance/ Getty Images) 

Comprei o bilhete, fui deixar os meus pertences no hotel e voltei diretamente para a estação de comboios. O plano era ir a Colónia, só para ver a catedral. Mas depois lembrei-me de que, há quase 100 anos, a minha família viveu perto de Brühl.  

Portanto, depois de meia hora no comboio, em vez de sair na estação em Colónia, mudei de plataforma e entrei noutro. Cerca de quinze minutos depois, estava em Brühl. Foi uma viagem completamente espontânea que me permitiu ver a antiga casa da minha família. 

Uma viagem de Düsseldorf a Brühl, só de ida, custaria 9 euros, mas por esse preço consegui uma viagem de ida e volta e duas corridas ao aeroporto, em vez do total "real" de 24 euros. Mas isto não se tratava apenas de poupar 15 euros. Para mim, o bilhete de 9 euros deu-me uma ideia do que a Alemanha tinha para oferecer, mesmo em menos de um dia. Estou ansiosa por voltar. Um palácio rococó não é suficiente. 

Mas não sou a única. A decisão da Alemanha de oferecer este verão viagens regionais ilimitadas por 9 euros tem sido um sucesso. 

Cerca de 60 milhões de bilhetes tinham sido vendidos no início de agosto, segundo a VDV, a Associação dos Transportadores Alemães - ou seja, foram vendidos em junho e julho. 

Isso inclui 10 milhões de subscritores por mês, que receberam automaticamente o bilhete, 21 milhões de bilhetes em junho e 17 milhões em julho. 

O blogger de viagens britânico, Alexei Gaynanov, já tinha planeado uma viagem de onze dias à Alemanha quando o bilhete de 9 euros foi anunciado. Ele tinha comprado um cartão Interrail, que dava acesso a viagens ilimitadas de comboio, mas diz que o bilhete de 9 euros “abriu o resto da rede para nós: metro, elétricos e autocarros”. 

"Isso facilitou muito as viagens e tirou-nos o stress de termos de perceber qual o bilhete que tínhamos de comprar. Poupámos muito dinheiro nos onze dias que passámos no país", disse ele.

Melhor qualidade do ar

A qualidade do ar na Alemanha melhorou 6% enquanto o bilhete de 9 euros estava à venda

E isso não resultou apenas em clientes felizes. Um estudo sobre a qualidade do ar, feito durante o verão pelo Centro de Análise de Política Económica da Universidade de Potsdam, mostrou uma "queda substancial no índice de qualidade do ar de mais de 6%". 

O autor Niklas Gohl disse à CNN que o efeito foi "mais pronunciado nas aglomerações urbanas e nas áreas com uma forte rede de transportes públicos". E ele disse que é um bom presságio para o futuro. 

"O nosso estudo documenta que um subsídio para os transportes públicos, como o bilhete de 9 euros, pelo menos a curto prazo, tem o potencial de promover meios de transporte mais sustentáveis e de reduzir a poluição do ar." 

O projeto terminou entretanto, mas desencadeou uma mudança para transportes públicos mais acessíveis e mais verdes. De setembro até ao final do ano, grande parte das viagens de comboio regionais de Espanha serão totalmente gratuitas. 

E a própria Alemanha, que atingiu os 30 milhões de bilhetes vendidos por mês, está agora a vender um bilhete de 69 euros por mês. 

A ganhar força

O bilhete foi fortemente subsidiado, mas outro bilhete ilimitado, mas mais caro, é uma opção

Isso equivaleria a 824 euros por ano, menos do que o Klimatiket anual de 1.095 euros na Áustria, que permite o uso de transportes públicos durante um ano. 

Oliver Wolff, CEO da VDV, diz que a "dinâmica" do bilhete de 9 euros "criou uma situação em que já não podemos voltar atrás". 

Em comunicado, escreveu que o preço de 9 euros apenas estaria acessível por três meses e sugeriu a introdução de um novo bilhete mensal por 69 euros. 

"Propomos um ÖPNV-Klimaticket (bilhete de transporte público climático) por 69 euros por mês." 

Um porta-voz do ministério alemão do Digital e dos Transportes disse à CNN que o bilhete era uma "medida de alívio" para lidar com o aumento dos preços da energia e dos combustíveis. "A coligação deve decidir até que ponto tais medidas de alívio devem agora ser mantidas. A questão do financiamento será crucial", disseram. 

Acrescentaram que Volker Wissing, ministro federal do digital e dos transportes, criou um grupo de trabalho quando tomou posse, em dezembro de 2021, "para trabalhar em conjunto num pacto de expansão e modernização que será discutido na conferência dos ministros dos Transportes no outono”. 

"Isto dá-nos a oportunidade de tornar os transportes públicos muito mais convenientes e atrativos para todos os cidadãos", dizem. 

Niklas Gohl, autor do estudo sobre a poluição do ar, diz que, a longo prazo, o prolongamento do subsídio teria de ser calculado. 

Comboios cheios, mas menos turistas

Os comboios estavam muitas vezes lotados pois as pessoas corriam para desfrutar dos transportes quase gratuitos

O bilhete de 9 euros nem sempre foi divertido. Os passageiros queixaram-se de comboios cheios em horas de ponta, e Gaynanov percebeu que não poderia ser assim. 

"A rede de transportes não foi capaz de fazer face à procura naquele que já é um período de verão agitado", disse ele. 

"Todos os comboios que usámos tinham muita gente, mas aqueles que seguiam para destinos populares estavam praticamente lotados, sem lugares disponíveis." 

"Não pudemos embarcar num comboio - era um em que as quatro primeiras carruagens vão para um lugar e as últimas quatro para outro. Tivemos de entrar numa carruagem que não estava cheia e mudar o nosso destino como resultado." 

"Muitos serviços em toda a rede ferroviária estavam a funcionar com atrasos devido à falta de pessoal. A solução para mim seria ter algo semelhante, mas possivelmente fora dos meses intensos de verão." 

Até eu passei por isso, no único dia em que usei o comboio. Na viagem de regresso a Colónia, vinda de Brühl, na hora de ponta, havia dois seguranças no cimo das escadas da plataforma que indicavam às pessoas onde deviam ficar. O comboio estava tão cheio que alguns passageiros, incapazes de ficar de pé, foram sentar-se na primeira classe. 

Se estes viajantes extra eram locais, turistas nacionais ou visitantes internacionais atraídos por transportes públicos baratos num verão onde o caos aéreo reina e os preços dos alugueres de automóveis são altos, ainda não foi apurado. 

Dados divulgados em agosto pelo Gabinete Federal de Estatísticas da Alemanha, Destatis, mostraram que as dormidas na Alemanha aumentaram 60% em junho de 2022, em comparação com o ano anterior. No entanto, esse número inclui turistas nacionais - a análise dos turistas estrangeiros só estará disponível em dezembro - e os sites de reservas para estrangeiros contam uma história ligeiramente diferente.  

As viagens à Alemanha através do Lastminute.com e da Enchanting Travels caíram 25% este verão em comparação com 2019. 

"Embora ainda se sinta o impacto da covid-19, a procura está certamente a aumentar", disse Parik Laxminarayan, CEO da Enchanting Travels e da USTO, que prevê que 2023 terá números "iguais ou superiores" aos de 2019.  

"Apesar de as medidas como o bilhete de 9 euros tenham, sem dúvida, conduzido a um aumento das viagens dentro da Alemanha, isso não teve qualquer impacto no nosso negócio. Um bilhete de baixo custo nos transportes públicos pode ser ótimo para os habitantes locais, mas não é determinante para um cliente americano que compra uma viagem personalizada à Europa", disse. 

De onde quer que esses visitantes extra tenham vindo, Wolff diz que subir o preço para 69 euros é o valor áureo - acessível o suficiente para persuadir os condutores a não utilizar os carros, mas não é assim tão barato ao ponto de milhões de pessoas lotarem comboios com viagens de impulso ao último minuto. Esse esquema custaria cerca de 2 mil milhões de euros, disse. 

O castelo de Falkenlust em Brühl foi um prazer inesperado (llstein bild/ Getty Images)

E embora ele esperasse que o novo esquema pudesse estar em vigor no dia 1 de setembro, quando o atual terminasse, até agora não foi nada anunciado, e um porta-voz da VDV disse que já não há tempo para implementar um novo bilhete a partir de setembro. 

No dia 2 de agosto, o Governo pediu propostas para tornar os transportes locais mais atrativos. E uma semana antes do fim do bilhete de 9 euros, houve o novo anúncio amigo do ambiente: comboios movidos a hidrogénio para um trilho de 100 km na Baixa Saxónia. 

Será que a Alemanha se irá juntar à Áustria e introduzirá um Klimatiket? Até agora, não há confirmação. 

Mas com a crise climática a tornar-se cada vez mais acentuada e os rios europeus a secarem este verão, o sucesso do bilhete de 9 euros estará, sem dúvida, na mente dos políticos neste outono. 

Viagens

Mais Viagens

Na SELFIE

Patrocinados