Dortmund expulsa de sócio ex-chanceler Gerhard Schröder por ligações à Rússia

2 mar, 15:54
A «amizade» entre Schroeder e Putin de que Merkel se distancia

Clube defende que pertencer a órgãos diretivos de consórcios russos é «incompatível» com a condição de sócio honorário

O Borussia Dortmund expulsou de sócio honorário o ex-chanceler alemão Gerhard Schröder, face às relações próximas que mantém com o presidente russo Vladimir Putin e os cargos que ocupa em consórcios russos.

No atual cenário, da invasão russa à Ucrânia, o clube tinha anteriormente pedido a Schröder que rompesse os vínculos que mantinha com as empresas russas, sob pena de ser obrigado a tomar uma decisão.

Schröder é presidente do Conselho de vigilância de petrolífera Rosneft, tem um cargo na Nord Stream e está previsto que passe também a integrar o conselho da Gazprom, outra empresa do setor energético.

Ainda no comunicado, o Dortmund, clube em que joga o defesa internacional português Raphaël Guerreiro, sublinha que o facto de pertencer a órgãos diretivos de consórcios russos é «incompatível» com a condição de sócio honorário do emblema.

O antigo chanceler e Putin mantêm uma relação de amizade, desde que Schröder chefiou o governo entre 1998 e 2005, período da construção do Nord Stream I, gasoduto que transporta gás da Rússia para a Alemanha através do Báltico.

A Rússia lançou na quinta-feira de madrugada uma ofensiva militar na Ucrânia, com forças terrestres e bombardeamento de alvos em várias cidades, que já mataram mais de 350 civis, incluindo crianças, segundo Kiev. A ONU deu conta de mais de 836 mil refugiados na Polónia, Hungria, Moldova e Roménia.

Relacionados

Patrocinados