"Um discurso vergonhoso". Ministra alemã falou da guerra na Ucrânia em clima de festa

4 jan, 11:24
Christine Lambrecht

Fogo de artifício em Berlim na véspera de Ano Novo como fundo – e a ministra da Defesa alemã a falar sobre a guerra na Europa em primeiro plano. A mensagem de Ano Novo de Christine Lambrecht está a gerar indignação e aumentou (novamente) os pedidos de demissão

Filmada de forma amadora com o telemóvel, no meio de uma rua de Berlim. Como pano de fundo, um espetáculo pirotécnico iluminava os céus da capital alemã para celebrar o início de 2023. À partida, o contexto escolhido para a mensagem de Ano Novo da ministra da Defesa da Alemanha não geraria grande estranheza - não fosse o conteúdo.

É que entre o barulho quase ensurdecedor do fogo de artifício, Christine Lambrecht falava da guerra na Ucrânia e como esta lhe permitiu trocar "muitas impressões" sobre a invasão russa, agradecendo também pelos vários "encontros com pessoas interessantes e maravilhosas".

"Que tipo de ano foi 2022?", questiona-se. "Está a ser travada uma guerra no meio da Europa", responde de seguida, explicando o que tem significado o conflito pessoalmente. "Houve muitas impressões especiais que consegui obter com isto. Muitos, muitos encontros com pessoas interessantes e maravilhosas. Quero prestar um sincero agradecimento por isso".

Finalmente, a ministra - nomeada pelo partido social-democrata do chanceler Olaf Scholz - deseja a todos os compatriotas um feliz Ano Novo. "Vamos torcer para que seja saudável, feliz e esperançosamente pacífico", continua durante o discurso na rua.

A caricata mensagem de Lambrecht levou a oposição (Democratas-Cristãos) a pedir a demissão da ministra, enquanto os membros do governo optaram pela cautela. Segundo a imprensa alemã, um porta-voz do Ministério da Defesa afirmou que se tratava de um vídeo gravado de forma particular para o qual não foram utilizados recursos do ministério. Também a vice-porta-voz do governo, Christiane Hoffmann, fez uma declaração semelhante: "Não vejo razão para avaliar isso."

"Com o estrondo dos foguetes de Ano Novo como fundo, ela conta algo sobre a guerra na Europa e as grandes reuniões que teve em 2022", disse o político da CDU, Paul Schäfer, que acusa Lambrecht de não trazer dignidade suficiente ao ministério.

Mas as críticas não se ficaram pela esfera política. Também a imprensa alemã não deixou passar impune a mensagem: "A Ministra Federal da Defesa agradece a invasão russa da Ucrânia, que lhe permitiu ter muitos, muitos encontros interessantes. É assim que as palavras de Christine Lambrecht devem ser interpretadas se forem levadas a sério. Mas ninguém a vai acusar disso. Simplesmente porque ninguém leva mais a sério a nossa ministra da Defesa", escreveu o tablóide alemão Bild - o jornal mais lido do país - que fala num "discurso vergonhoso".

“No final do ano, a ministra Lambrecht resume no Instagram o que lhe vem à mente sobre a guerra. Infelizmente, ela não tem ninguém para lhe dizer que há limites para a vergonha, mesmo na véspera de Ano Novo", afirmou, por sua vez, o jornal Frankfurter Allgemeine Zeitung. "Lambrecht acrescenta um novo episódio à sua imagem já deteriorada. Quando é que o chanceler Scholz finalmente perceberá que ela não é a pessoa certa para liderar as Forças Armadas?, questiona o jornalista Stefan Kornelius, num artigo no Süddeutsche Zeitung.

Europa

Mais Europa

Mais Lidas

Patrocinados