Sérvia recebe novo armamento proveniente da Rússia

Agência Lusa
3 jan, 18:33
Anúncio de novo confinamento origina confrontos entre manifestantes e polícia na Sérvia
Anúncio de novo confinamento origina confrontos entre manifestantes e polícia na Sérvia

A Sérvia tem-se munido com aviões de guerra, drones e sistemas de mísseis antiaéreos de origem russa e chinesa, que têm gerado receios de um aumento das tensões nesta região instável da Europa

PUB

O Presidente da Sérvia agradeceu esta segunda-feira o envio de novo carregamento de armas proveniente da Rússia, apesar dos receios sobre o reforço militar do país balcânico poder provocar um aumento das tensões nesta região instável da Europa.

O Presidente Aleksandar Vucic assistiu esta segunda-feira a um exercício militar numa base perto de Belgrado, que incluiu a utilização dos recém-adquiridos mísseis teleguiados antitanque Kornet.

PUB

“Os nossos soldados estão satisfeitos pela compra dos Kornet à Rússia”, disse Vucic, citado pela agência noticiosa Associated Press (AP). “São provavelmente as melhores armas antitanque do mundo”.

“O Kornet é uma importante ferramenta defensiva para deter qualquer potencial agressão contra o nosso país”, acrescentou.

A Sérvia tem sido acusada de promover o reforço da aliança com a Rússia e de desestabilizar as ex-repúblicas jugoslavas da Bósnia e do Montenegro, além do Kosovo, a sua antiga província do sul que declarou a independência unilateral de 2008.

A Sérvia tem-se munido com aviões de guerra, drones e sistemas de mísseis antiaéreos de origem russa e chinesa, e nos últimos meses a Rússia entregou à Sérvia 30 tanques de guerra, e 30 veículos militares blindados. Belgrado também adquiriu recentemente os sofisticados sistemas de defesa antiaérea Pantsir, de origem russa, e ainda helicópteros de ataque e de transporte, para além de drones chineses.

PUB
PUB
PUB

Apesar de pretender formalmente uma adesão à União Europeia (UE), a Sérvia tem recusado alinhar a sua política externa com o bloco dos 27 Estados-membros e optou por também reforçar a sua cooperação com a Rússia e a China.

Hoje, Vucic assegurou que a Sérvia “permanece no caminho europeu”, mas também acrescentou que vai prosseguir o “reforço” dos seus laços de amizade com a Rússia e a China.

Para aderir à UE, a Sérvia necessita da aprovação de todos os seus Estados membros, mas as relações com a Croácia, outro vizinho balcânico, também ex-república jugoslava e o último país admitido no bloco europeu, permanecem tensas, indica a AP.

A Croácia, membro da NATO desde 2009, protagoniza uma “minicorrida ao armamento” com a Sérvia, que recebeu recentemente seis MIG-29 usados e provenientes da Rússia. Em novembro, o Governo croata anunciou a compra à França de 12 caças Rafale.

Uma newsletter para conversarmos - Decisão 22

Envie-nos as suas questões e sugestões de temas, responderemos pela caixa do correio

Saiba mais

Europa

Mais Europa

Patrocinados