É oficial: acabaram permanentemente as festas em Airbnb

CNN Portugal , FMC
29 jun, 16:35
Airbnb torna permanente proibição de festas	(NurPhoto/ Getty)

A medida provisória declarada na sequência da pandemia, em 2020, tornou-se agora permanente: plataforma anuncia a proibição de festas e eventos em todo o mundo. "A medida foi bem recebida pelos proprietários"

A plataforma de aluguer de casas Airbnb decidiu implementar a proibição de festas e eventos em agosto de 2020 devido à pandemia de de covid-19. Agora, refere que a regra "se tornou muito mais do que uma medida de saúde pública" e tornou-a permanente, avança a BBC. 

"Transformou-se numa política comunitária fundamental para apoiar os nossos anfitriões e os seus vizinhos", esclareceu a empresa.

Em comunicado, a plataforma indicou acreditar que existe uma "correlação direta entre a aplicação da medida e a descida em 44% do número de denúncias por festas". Acrescentou ainda que "a medida foi bem recebida pelos proprietários".

Contudo, admite exeções para "eventos específicos e tradicionais" no futuro.

Por outro lado, levantou a medida, também imposta na altura, que visava o distanciamento social: a limitação no número de pessoas. Aquando do auge pandémico, eram permitidas apenas 16 pessoas por propriedade. 

A Airbnb declarou que possui "vários tipos de casas maiores capazes de alojar confortavelmente e em segurança mais de 16 pessoas", tendo em consideração famílias multigeracionais e grandes grupos que pretendam viajar e utilizar as propriedades listadas.

"A remoção deste limite destina-se a permitir que os anfitriões utilizem o espaço nas suas casas de forma responsável, ao mesmo tempo que cumprem a nossa proibição das festas perturbadoras", salientou a firma.

A empresa começou a colocar restrições às festas em 2019. Proibiu as festas de "convite aberto" - anunciadas nas várias redes sociais - e as "casas de festas recorrentes", que constituíam um incómodo para os vizinhos. 

A Airbnb alerta que violações a esta regra serão acompanhadas de sanções, podendo motivar a suspensão ou até mesmo a remoção da plataforma. Mais de 6.600 clientes foram suspensos o ano passado na sequência de infrações. 

"Esta nova política de longo prazo foi decretada para ajudar a encorajar e apoiar a segurança da comunidade", defendeu. A empresa garantiu ainda que, em caso de festas ilegais, ajudará os anfitriões na proteção contra danos. 

"Esperamos partilhar atualizações nas próximas semanas e meses sobre os nossos esforços para complementar as nossas políticas comunitárias em matéria de partidos", concluiu no comunicado. 

Mundo

Mais Mundo

Patrocinados