Autocarro despista-se na A1 perto da Mealhada. Há três mortos e cinco feridos graves

Daniela Rodrigues | Cláudia Valente de Oliveira , Notícia atualizada às 17:30 (com Lusa)
21 mai, 09:54

Veículo não tinha seguro registado, ao que apurou a CNN Portugal, assim sendo as despesas decorrentes do acidente ficaram a cargo do Fundo de Garantia Automóvel

Um autocarro com destino a Fátima despistou-se na A1, no sentido norte-sul, perto da área de serviço da Mealhada. Até ao momento, sabe-se que o acidente provocou três vítimas mortais. 

Há ainda a registar seis feridos graves, cinco feridos críticos, 22 ligeiros e duas pessoas saíram ilesas. Entre os feridos ligeiros estão duas crianças com cerca de 10 anos. 

Autocarro não tinha seguro registado

De acordo com o site da Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões (ASF), o autocarro não teria seguro. Através de uma pesquisa pela na plataforma pode comprovar-se que não há nenhuma apólice registada que corresponda à matrícula do veículo. A CNN Portugal confirmou ainda esta informação através de outras fontes. Uma vez que o autocarro não tinha seguro, as despesas decorrentes do acidente ficaram a cargo do Fundo de Garantia Automóvel, organismo gerido pela própria ASF.

Os feridos, graves e ligeiros, foram distribuídos entre o Hospitais da Universidade de Coimbra (CHUC) e o Hospital de Aveiro. Segundo o INEM, o Hospital Universitário de Coimbra recebeu três dos feridos críticos, cinco dos graves e 12 dos 22 feridos ligeiros, sendo que para o Hospital de Aveiro foram encaminhados dois feridos críticos, um ferido grave, oito feridos ligeiros e duas crianças foram socorridas no Hospital Pediátrico.

O pesado de passageiros, que levava 38 pessoas, galgou o separador central, passou de uma faixa de rodagem para a outra, bateu num posto de alta tensão e caiu numa ribanceira. A circulação foi, entretanto, restabelecida, mas faz-se de forma muito condicionada e apenas por uma via. 

Motorista entre as vítimas mortais 

A CNN Portugal sabe que uma das vítimas mortais é o motorista e proprietário do autocarro, residente na freguesia de Santa Maria de Airão. Outra das vítimas mortais é uma autarca, de 53 anos, da União de Freguesias de Figueiredo, Oleiros e Leitões. A terceira vítima é um homem da freguesia de Figueiredo.

A Arquidiocese de Braga já deixou uma nota de pesar para com as vítimas do acidente, afirmando que " o nosso coração e as nossas preces dirigem-se agora para os familiares e amigos das vítimas, de modo particular ao P. Rui Araújo, da Arquidiocese de Braga, e ao Frei Agostinho Castro, da ordem do Carmo, cujo pai e irmã, respectivamente, estão entre as vítimas mortais."De acordo com a GNR, tudo indica que um dos pneus frontais do autocarro rebentou e originou o despiste. 

O acidente ocorreu ao quilómetro 212 e o alerta foi dado às 09:29. 

No local, chegaram a estar mais de 130 operacionais e perto de 60 viaturas entre bombeiros, GNR e INEM. Também esteve um helicóptero do INEM. 

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

País

Mais País

Patrocinados