Igreja Católica. Siza Vieira vai projetar memorial em homenagem a vítimas de abusos

Agência Lusa , HCL
10 jul, 16:24
Álvaro Siza Vieira

Em seis meses, comissão já recolheu mais de 350 testemunhos de vítimas

A Comissão Independente criada para investigar abusos sexuais na Igreja Católica portuguesa já recolheu 352 testemunhos de vítimas desde que foi criada, há seis meses, e convidou o arquiteto Álvaro Siza Vieira para projetar memorial de homenagem, que aceitou o projeto.

Este memorial está ainda em fase de estudo e de proposta à Conferência Episcopal Portuguesa, mas o convite ao arquiteto Álvaro Siza Vieira já foi "prontamente aceite”.

Em comunicado a Comissão Independente (CI) para o Estudo de Abusos Sexuais de Crianças na Igreja Católica Portuguesa assinala os seis meses de início oficial da atividade atualizando o ponto de situação.

O último balanço foi feito a 30 de junho indicando, na altura, que tinha 365 inquéritos, tendo validado 338 deles e encaminhado 17 casos para o Ministério Público.

Na nota de imprensa assinada pelo coordenador do grupo trabalho, o pedopsiquiatra Pedro Strecht, é ainda referido que a comissão “não esquece a mensagem contida numa imensa maioria dos testemunhos até agora recebidos, nomeadamente a necessidade de materialização de pedido de perdão da Igreja Católica e respetivo compromisso sobre um futuro mais atento à prevenção e intervenção precoce nestes casos”.

É também referido que é desejável o reforço de divulgação do trabalho da CI junto das zonas do interior do País, assim como de toda a mancha geográfica abaixo de Lisboa e Setúbal, e é feito um apelo a Dioceses e Comissões Diocesanas das respetivas regiões para envolvimento de proximidade junto destas pessoas.

Além de Pedro Strecht, fazem ainda parte da comissão Álvaro Laborinho Lúcio, juiz conselheiro jubilado do Supremo Tribunal de Justiça, Ana Nunes de Almeida, socióloga e investigadora do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, Daniel Sampaio, psiquiatra, professor catedrático jubilado da Faculdade de Medicina de Lisboa, Filipa Tavares, assistente social e terapeuta familiar, e Catarina Vasconcelos, cineasta.

As denúncias e testemunhos podem chegar à comissão através do preenchimento de um inquérito 'online' em darvozaosilencio.org, através do número de telemóvel +351917110000 (diariamente entre as 10:00 e as 20:00), por correio eletrónico, em geral@darvozaosilencio.org e por carta para "Comissão Independente", Apartado 012079, EC Picoas 1061-011 Lisboa.

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Patrocinados