Abramovich: Chelsea não pode ser vendido nem negociar jogadores

10 mar 2022, 09:52
Edouard Mendy, Rudiger e Matip no Chelsea-Liverpool (Alastair Grant/AP)

Sanções do governo britânico ao empresário russo têm um forte impacto no clube londrino

A sanção do governo do Reino Unido ao russo Roman Abramovich, devido a ligações ao Kremlin, vai afetar em larga escala as operações do Chelsea, atual terceiro classificado da Premier League.

Abramovich passa a ter os bens congelados no Reino Unido e é impossibilitado de fazer transições com indivíduos ou empresas do país. O oligarca russo já manifestou a intenção de vender o clube, mas tal não pode acontecer enquanto esta sanção perdurar.

O Chelsea fica ainda impossibilitado de negociar compra e venda de jogadores, de vender bilhetes para jogos e quaisquer outros produtos.

Nadine Dorries, Secretária de Estado para o Digital, Cultura, Média e Desporto, garante que o governo britânico tentará não prejudicar o Chelsea e o futebol inglês. 

O clube poderá continuar a disputar jogos, os salários poderão continuar a ser pagos e os detentores de lugares anuais poderão continuar a assistir aos encontros.

O governo britânico explica em nota oficial que foi concedida uma licença especial para continuarem a ser realizadas as operações no Chelsea relacionadas estritamente com o futebol. A ligença expira a 31 de maio.

«Face ao impacto significativo que as sanções de hoje teriam no Chelsea, o Governo concedeu uma licença para que as atividades relacionadas com o futebol possam continuar a ser realizadas no Chelsea. Isto inclui permissões para que o clube continue a disputar jogos e outras atividades relacionadas com o futebol, protegendo desta forma a Premier League, a pirâmide do futebol, os adeptos leais e outros clubes», pode ler-se.

«Esta licença permitirá apenas as ações específicas, para garantir que os indivíduos designados não contornem as sanções», salienta a nota oficial, concluindo: «Esta licença será constantemente reavaliada e iremos trabalhar de perto com as autoridades do futebol.»

CHELSEA: O QUE NÃO PODE FAZER

  • Contratar jogadores ou vender jogadores;
     
  • Renovar contratos com os jogadores atuais;
     
  • Vender bilhetes - apenas os detentores de lugares anuais podem ir aos jogos;
     
  • Vender produtos de merchandising - as entidades externas que adquiriram ou produziram produtos de merchandising do clube até esta quinta-feira podem vender os respetivos stocks.

CHELSEA: O QUE PODE FAZER

  • Pagar salários aos funcionários do clube, incluindo salários de jogadores e treinadores;
     
  • Pagar custos razoáveis em deslocações para jogos fora, «que não excedam o valor de 20 mil libras (cerca 23,8 mil euros) por jogo e por equipa do clube»;
     
  • Pagar custos razoáveis para a organização dos jogos em casa, «sem exceder o custo de 500 mil libras (cerca de 595 mil euros) por jogo e por equipa do clube»;
     
  • Pagar salários, dividendos e outros valores fixos aos diretores do clube;
     
  • Pagar «verbas razoáveis» e outros custos diretamente relacionados com a gestão diário do clube;
     
  • Os jogos do clube podem continuar a ser transmitidos pelas estações televisiva.

Relacionados

Mais Lidas

Patrocinados