Obras em Alter do Chão revelam 13 sepulturas de possível necrópole romana

Agência Lusa , BMA
10 fev, 00:23
Pá (Getty Images)

Estruturas representam apenas uma pequena parte do aglomerado urbano de "Abelterium".

Treze sepulturas pertencentes a uma necrópole que poderá ser da época romana foram descobertas em Alter do Chão, no distrito de Portalegre, durante obras naquela vila alentejana, revelou esta quarta-feira a câmara municipal.

Numa publicação na sua página de Internet, o município explicou que os vestígios arqueológicos foram detetados durante trabalhos de remodelação do sistema de drenagem de águas residuais na vila, que obrigam a acompanhamento arqueológico.

“Foram descobertas 13 sepulturas de uma necrópole, até ao momento desconhecida”, no âmbito deste acompanhamento, num troço da Avenida Doutor João Pestana, pode ler-se na informação do município.

A empresa Águas do Alto Alentejo, responsável pela empreitada, contratou a antropóloga Liliana Carvalho para proceder à escavação, exumação e estudo dos restos humanos, acrescentou a câmara.

Das 13 sepulturas identificadas, “apenas seis vão ser parcialmente intervencionadas”, uma vez que “não se conservaram na totalidade”, estando prevista para sexta-feira a conclusão destes trabalhos.

Até ao momento, foi escavava uma sepultura, da qual “foi exumada uma mulher” que, quando morreu, teria “entre os 18 e os 20 anos”, indicou.

“Todo o material osteológico humano recolhido na intervenção será depositado no Laboratório de Antropologia da Câmara Municipal de Alter do Chão”, referiu o município.

De acordo com a autarquia, existe a possibilidade de as sepulturas em causa pertencerem à necrópole romana de “Abelterium”, o que torna “particularmente relevantes” os trabalhos arqueológicos e antropológicos em curso.

A confirmar-se esta hipótese, será a “maior descoberta” arqueológica feita no concelho, desde que foi encontrado o “mosaico de Alexandre, o Grande”, na Casa da Medusa, em 2007.

“Esta descoberta, de impacto nacional, uma vez que o local de sepultamento da população romana não era conhecido, dará um enorme contributo para o conhecimento dos habitantes de ‘Abelterium’”, argumentou.

Em maio de 2010, o Município de Alter do Chão inaugurou o espaço das ruínas romanas de “Abelterium”, também conhecido por Estação Arqueológica de Ferragial d´El Rei, espaço classificado como Imóvel de Interesse Público, em 1982.

Esta estação arqueológica é propriedade do Estado e encontra-se sob a tutela da câmara.

Os primeiros vestígios arqueológicos foram descobertos em 1954, durante os trabalhos de construção do Campo de Futebol Municipal.

Desde essa data, as intervenções arqueológicas colocaram a descoberto parte de um edifício termal, uma casa romana e uma necrópole datada da Antiguidade Tardia.

Contudo, estas estruturas representam apenas uma pequena parte do aglomerado urbano de "Abelterium".

Apesar de não ser conhecida a data da sua fundação, nem o seu estatuto jurídico-administrativo, seria o centro aglutinador de um território polvilhado por uma intensa rede viária e por povoamento rural.

País

Mais País

Patrocinados