43 bebés foram abandonados à nascença nos últimos cinco anos

22 ago, 08:31
Bebé

REVISTA DE IMPRENSA. Em 2020, ano marcado pelo início da pandemia de covid-19, o número de bebés abandonados baixou para nove e, em 2021, voltou a baixar, com quatro casos identificados

Cerca de 43 bebés foram abandonados à nascença entre 2017 e 2021, avança o Jornal de Notícias.

Na origem destes atos estão, geralmente, casos de gravidez indesejada, pobreza, falta de suporte familiar, surto psicótico e consumo de substâncias aditivas, revela a vice-presidente da Ordem dos Psicólogos, Renata Benavente, em declarações ao jornal.

De 2017 até ao início da pandemia, o número de casos era crescente. 2019 foi o ano que teve mais situações diagnosticadas pelas comissões de proteção de crianças e jovens que reportaram e acompanharam estes casos, com 22 situações denunciadas e 12 casos comprovados.

Em 2020, ano marcado pelo início da pandemia de covid-19, o número de bebés abandonados baixou para nove e, em 2021, voltou a baixar, com quatro casos identificados.

Ao JN, a Procuradoria-Geral da República não especifica o número de crianças abandonadas: “No âmbito da jurisdição criminal, sendo os inquéritos registados por tipo de crime, o abandono de recém-nascidos não configura, por si, um tipo específico, podendo enquadrar-se em vários tipos criminais, consoante as circunstâncias do caso”.

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Patrocinados