O fascínio dos americanos com riscas e estrelas e outras imagens: chegou o 4 de Julho

CNN
4 jul, 11:00

O Dia da Independência dos Estados Unidos é celebrado a 4 de julho. Fique com uma galeria de fotos sobre este feriado comemorado pelos norte-americanos

História

4 de julho de 1776 — O Congresso Continental aprova a Declaração de Independência na Pennsylvania State House (hoje, Independence Hall), na cidade de Filadélfia. O Congresso declara as colónias americanas como estados livres e independentes. (Observação: John Hancock assina a 4 de julho. O resto assina a 2 de agosto de 1776).

Benjamin Franklin, John Adams, Thomas Jefferson, Roger Sherman e Robert R. Livingston constituíram a comissão que redigiu a Declaração. Jefferson, visto como o escritor mais forte e eloquente, escreveu grande parte do documento. A comissão e o Congresso realizaram um total de 86 alterações ao rascunho de Jefferson.

Lê-se nos dois primeiros parágrafos da Declaração de Independência: “Quando, no curso dos acontecimentos humanos, se torna necessário que um povo dissolva os laços políticos que o ligavam a outro, e assumir, entre os poderes da Terra, posição igual e separada, a que as leis da natureza e de Deus da natureza lhes dão direito, o respeito digno para com as opiniões da humanidade exige que se declarem as causas que os impelem a essa separação.

Consideramos que estas verdades são evidentes, que todos os homens são criados iguais, dotados pelo seu Criador de certos direitos inalienáveis, que entre estes estão a vida, a liberdade e a busca da felicidade. Que de forma a garantir estes direitos, os governos são instituídos entre os homens, derivando os seus justos poderes do consentimento dos governados. Que sempre que qualquer forma de governo se torne destrutiva a estes fins, compete ao povo o direito de o alterar ou abolir, e de instituir um novo governo, estabelecendo o seu fundamento em tais princípios e organizando os seus poderes de tal forma, que lhes pareça mais susceptível influenciar a sua segurança e felicidade”.

Outros factos

Em 2020, os Estados Unidos gastaram 301 milhões de dólares (cerca de 280 milhões de euros) em fogos de artifício. Segundo as estimativas, houve 10.300 feridos relacionados com fogos de artifício tratados em hospitais durante o mês de julho.

Em 2021, a National Retail Foundation estima que os americanos terão gasto 7,52 mil milhões de dólares (cerca de 7 mil milhões de euros) em alimentação para celebrar o Dia da Independência.

Concurso de cachorros-quentes

Para ganhar o prémio monetário e o Cinto de Mostarda, o vencedor tem de comer o máximo de cachorros quentes e pães em 10 minutos.

Joey Chestnut de San Jose, Califórnia, já ganhou o título 14 vezes (2007-2014 e 2016-2021). Também detém o recorde mundial de comer 76 cachorros quentes.

1916 - O concurso de comer cachorros quentes do 4 de julho realiza-se no Nathan's Famous original em Coney Island.

2011 - Pela primeira vez, homens e mulheres competem separadamente.

2021 - Joey Chestnut defende o seu título e estabelece um novo recorde, e Michelle Lesco ganha o seu primeiro campeonato.

Relacionados

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados